Qual a diferença entre auxílio funeral e assistência funeral

Qual a diferença entre auxílio funeral e assistência funeral?

Se você quer saber qual a diferença entre auxílio funeral e assistência funeral, você precisa ler esse artigo.  

Sei que algumas pessoas podem pensar que esse assunto é uma forma de atrair coisas ruins, mas a verdade é esses são serviços básicos para família. 

Nos Estados Unidos, por exemplo,  57% da população tem seguro de vida com cobertura funeral.

Aqui no Brasil essa consciência aumenta cerca de 10% a cada ano. 

Isso quer dizer que os brasileiros estão cada vez mais conscientes sobre a importância de se preparar para situações de imprevistos que possam levar ao óbito. 

Sendo assim, aqui vou te mostrar todos os pontos essenciais para você entender cada um desses termos. 

E acredito que depois da leitura desse artigo você poderá fazer uma escolha mais consciente entre os dois serviços. 

Vou começar primeiro te explicando…

O que é o auxílio funeral?

O auxílio funeral é a cobertura que reembolsa os gastos com o funeral. Normalmente, há duas modalidades: a individual e a familiar. 

A individual, como o próprio nome diz, é aquela que cobre o funeral de apenas uma pessoa (geralmente, do contratante). Já  a familiar é quando o plano pode ser estendido para o cônjuge e filhos de até 18 anos (ou até 24 anos, dependendo da prestadora de serviços).

É importante frisar que os contemplados por essa cobertura devem estar determinados na apólice, pois, no momento do óbito, não é possível adicionar nem remover ninguém.

No auxílio funeral a escolha da empresa que irá prestar os serviços funerários é de livre escolha do contratante ou do responsável. Ou seja, você precisa contratar diretamente a funerária.

Somente depois, e com os comprovantes em mãos, que a empresa de auxílio funeral irá reembolsar as despesas.  

Isso quer dizer que você precisa ter o dinheiro em mãos para pagar as despesas com o funeral no momento do óbito, pois somente depois da apresentação das notas a empresa do auxílio funeral irá entregar o valor da indenização. 

Esse pagamento depende das condições contratuais e deverá ser realizado aos beneficiários ou para quem assumiu os gastos. No entanto, é importante destacar que a apólice sempre aponta qual o valor máximo de indenização que poderá ser pago. 

Por isso, antes mesmo de contratar o serviço a dica é olhar a apólice e descobrir quanto pode gastar com o funeral. Assim não corre o risco de não ser reembolsado todo o valor que gastou. 

Para saber a diferença entre auxílio funeral e assistência funeral, você precisa entender…

O que é Assistência Funeral?

O que é Assistência Funeral

Agora que você sabe o que é o auxílio funeral, você precisa entender o que é assistência funeral. 

Dessa forma, é mais fácil compreender a diferença entre os dois termos. Então vamos lá…

A assistência funeral é uma cobertura que faz parte do seguro de vida. Ela também pode ser individual ou familiar, ou seja, a assistência pode ser estendida para os dependentes.  

Ao contrário do auxílio funeral, não há um reembolso das despesas com o funeral nem há livre escolha a prestadora de serviços. 

Isso quer dizer que na assistência funeral o valor gasto está embutido no seguro de vida e a funerária será indicada pela própria seguradora. 

Pode parecer uma desvantagem, mas, na verdade, tudo isso garante menos burocracia e mais facilidade para a família em um momento tão delicado. 

Isso porque a seguradora, além de indicar uma prestadora do serviço de funeral, vai também cuidar de todos os detalhes do processo até a conclusão, supervisionar todo o trâmite e garantir que tudo esteja de acordo com o contrato estabelecido.  

Coberturas da assistência funeral

Sendo assim, a assistência funeral, geralmente, possui cobertura para:

  • Assessoria para formalidades administrativas do sepultamento (como, por exemplo, a liberação do corpo);
  • Pagamento das despesas com a cerimônia e o sepultamento;
  • Pagamento das taxas para a emissão de documentos necessários; 
  • Disponibiliza urna/caixão, coroa de flores, paramentos, véu, velas, ornamentação de urna, mesa de condolências;
  • Transmissão de mensagens urgentes;
  • Translado do corpo (caso o falecimento ocorra fora da cidade de origem);
  • Sepultamento ou cremação;
  • Velório;
  • Registro do óbito;
  • Carro funerário.
  • Entre outros.

Como dá para notar os gastos quando uma pessoa vem a óbito podem ser enormes, uma cremação, por exemplo, por chegar a R$ 2 mil e os caixões variam de R$ 700 a R$ 20 mil. 

Sem contar o transtorno físico e psicológico que é resolver todos esses processos em menos de dois dias. 

Algumas famílias acabam se endividando e não sabendo lidar com a perda justamente por causa de todo o transtorno criado por essa situação. 

Recentemente depois de muitos anos eu perdi uma pessoa da minha família, havia muito tempo que isso não acontecia e pegou todo mundo despreparado. 

Ninguém sabia exatamente o que precisava ser feito e acabou que a liberação do corpo do meu tio demorou a sair e foi muito difícil manter minha vó e minhas tias calmas nessa situação. 

Por fim, conseguimos resolver tudo. Mas a dívida adquirida teve que ser dividida entre todas as pessoas com emprego fixo da família. 

Acredito que se a gente tivesse se preparado antes, muita dor e constrangimento poderia ser evitado. 

Conclusão

No artigo de hoje te mostrei qual a diferença entre auxílio funeral e assistência funeral. 

Você viu como cada um deles funciona e acredito que com a leitura desse artigo você vai conseguir decidir sobre qual dos serviços é melhor para você e se encaixa perfeitamente a situação atual da sua família. 

Se você tiver alguma dúvida sobre esse assunto, entre em contato com a gente pelos comentários. A nossa equipe fará o possível pra te responder. 

Qual a relação entre estresse e saúde

Qual a relação entre estresse e saúde?

Eu não sei se você sabe qual é a relação entre estresse e saúde, mas é de extrema importância que você entenda que uma afeta diretamente a outra. 

Vai me dizer que você nunca sentiu uma dor de cabeça ou uma má digestão depois de passar um dia estressante?

Por exemplo, uma vez tive que resolver uma situação muito complicada e no final da conversa, quando entrei no carro, meu estômago doeu tanto que cheguei a chorar de dor. 

Eu tenho gastrite nervosa e sei que situações assim sempre vão atacar o meu corpo. Mas eu tenho 99,9% de certeza que algo parecido já aconteceu com você. 

E, por isso, no artigo de hoje você vai entender como o seu corpo responde a situações de estresse, quais são os tipos de estresse e o que você pode fazer para gerenciar essas situações. 

Vamos lá?

O que é estresse e quais são os tipos de estresse?

Estresse é qualquer tipo de mudança em que o corpo responde com alteração física, emocional ou psicológica.

Geralmente, encontra-se 4 tipos de estresse:

1) Eustress

Eustress é conhecido como um tipo de estresse divertido e emocionante, pois te mantém energizado. É aquela sensação associada a surtos de adrenalina quando, por exemplo, você está correndo para cumprir um prazo ou esquiando.

2) Estresse agudo

O estresse agudo é aquele que a gente passa no dia a dia. Normalmente ele é de curto prazo e pode ser positivo ou mais angustiante, depende da circunstância que você está passando no momento.

3) Estresse agudo episódico

Estresse agudo episódico é similar ao anterior só que mais intenso. Ou seja, a pessoa vive correndo e o estresse se torna um estilo de vida.

4) Estresse crônico

Estresse crônico é quando o estresse é interminável e inevitável. Por exemplo, um trabalho extremamente exigente, casamento ruim, experiências traumáticas e traumas na infância.

Como o seu corpo responde ao estresse?

Para entender qual a relação entre estresse e saúde, você precisa saber que o estresse pode desencadear no nosso corpo uma reação de ameaça ou perigo percebido

Na verdade, essa é a função original do estresse. É ele que nos permite lutar fisicamente ou fugir quando somos confrontados com o perigo.

No entanto, atualmente ele também é ativado em situações do cotidiano como no trânsito ou durante um dia estressante no trabalho.

O normal é o corpo ficar relaxado depois que a ameaça percebida desaparece, mas nos casos de estresse crônico, as respostas de relaxamento não ocorrem com a frequência suficiente.

Por isso que estar em um estado quase constante de luta ou fuga pode causar danos ao corpo. Como, por exemplo:

  • Problemas de memória, esquecimentos das atividades que precisavam ser feitas;
  • Dificuldade de manter-se concentrado;
  • Agitação, inquietação e pensamentos acelerados;
  • Preocupação excessiva e constante;
  • Pessimismo, visão distorcida da realidade;
  • Dor de cabeça constante;
  •  Enxaqueca; 
  • Dores musculares e tensão nos ombros;
  • Alterações no sistema gastrointestinal, diarreia, constipação, mal-estar no abdômen, azia, queimação no estômago;
  • Náuseas e/ou tonturas;
  • Dores no peito, batimento cardíaco acelerado;
  • Queda na imunidade;
  • Estar sempre cansado;
  • Perda de libido;
  • Mau humor mais frequente;
  • Sentimento de solidão;
  • Isolamento social;
  • Infelicidade, choro fácil;

Além disso, pode desencadear também gastrite, esgotamento, distúrbios de ansiedade, depressão, doença cardíaca, obesidade, diabetes e depressão.

Um estudo, por exemplo, mostrou que o estresse dos pais afeta as taxas de asma de crianças pequenas que também foram expostas à poluição do ar ou aquelas que as mães fumaram durante a gravidez.

Outro estudo mostrou que o estresse pode piorar a doença de Alzheimer, causando lesões mais cerebrais no cérebro. 

Como gerenciar o estresse?

Como gerenciar o estresse

Não passar por situações que ocasiona o estresse é quase inevitável, mas para manter a sua saúde você precisa reduzir o impacto que ele pode causar na sua vida.

Por isso vou te mostrar aqui atitudes que podem te ajudar a gerenciar o estresse. Veja só:

Reconheça os sinais

O primeiro passo para diminuir o estresse na sua vida é você descobrir em quais situações você fica alterado.

Depois você pode testar as melhores formas para conseguir diminuir o estresse e melhorar a sua saúde.

Faça atividade física

Já é comprovado que o exercício físico reduz o estresse e melhora muitos sintomas associados à doença mental.

Por isso, comece com 20 minutos de atividade física. Pode ser uma caminhada, ioga, exercício em casa… O importante é começar.

Estabeleça uma rotina de autocuidado

É essencial você determinar uma rotina para cuidar do seu corpo, da sua mente e o do espírito. 

Além da atividade física, procure se alimentar bem, ler um bom livro, meditar… Ou qualquer outra atividade que te ajude a relaxar. 

Preze por uma boa noite de sono

Segundo a Associação Americana de Psicologia, o estresse mantém mais de 40% dos adultos acordados. 

Sendo assim, uma das maneiras de diminuir o estresse é ter uma boa noite de sono. E para isso é importante cortar a cafeína, reduzir distrações como a televisão no quarto e computadores na cama, ir para a cama todos os dias no mesmo horário…

Além disso…

Você pode também fazer ações simples como escutar música, tirar férias, ficar um tempo à toa, ter um tempo para o lazer e ter um animal de estimação.

Conclusão

No artigo de hoje te mostrei qual a relação entre estresse e saúde. Você viu o conceito, quais são os tipos de estresse e como o seu corpo responde a essa situação. 

Além disso, te dei dicas simples que podem te ajudar a gerenciar o estresse no seu dia a dia. 

Agora quero saber de você… Já passou por alguma situação de estresse? Qual foram os sintomas e o que você está fazendo para não passar mais por isso?

Me conta nos comentários. 

O que é Atenção Primária à Saúde?

O que é Atenção Primária à Saúde?

Saber o que é Atenção Primária à Saúde (APS) é essencial tanto para profissionais da área da saúde quanto para a população no geral. 

Isso porque é através dela que o cidadão possui o atendimento inicial no sistema de saúde brasileiro. 

Vou te explicar.

A Atenção Primária à Saúde ou Atenção Básica é a porta de entrada para o sistema saúde. É nela que ocorre as orientações para prevenir doenças, visa solucionar os casos menos graves e direciona os mais graves para os níveis de atendimento superiores. 

É como se fosse um filtro que organiza os serviços nas redes de saúde: realizando os atendimentos simples e direcionando os mais graves para cada setor responsável. 

Por exemplo, o programa governamental Estratégia de Saúde da Família (ESF) disponibiliza exames, consultas, vacinas, radiografias e outros procedimentos por meio das Unidades Básicas de Saúde.

Ou seja, somente os casos mais graves são redirecionados para o atendimento no hospital. 

Segundo a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), a atenção primária pode atender de 80 a 90% das necessidades de saúde de um indivíduo ao longo de sua vida. Isso inclui os serviços que vão desde a promoção da saúde e prevenção até o controle de doenças crônicas e cuidados paliativos.

Qual o objetivo da Atenção Primária em Saúde?

O objetivo da APS, como te disse anteriormente, é organizar o fluxo de atendimento e serviços das redes de saúde brasileira. 

Sendo assim, as suas principais ações estão relacionadas a orientar sobre a prevenção de doenças, promover a saúde, solucionar os possíveis agravos e direcionais os casos mais graves. 

4 atributos da Atenção Primária à Saúde

De a acordo com a professora e  médica norte-americana Barbara Starfield, a atenção primária possui 4 atributos básicos:

1. Atenção ao primeiro contato

Como ele é a porta de entrada para a saúde brasileira, o que se espera da APS é que seja um serviço acessível a toda população. 

Por isso, é essencial que o primeiro atendimento seja com uma boa localização geográfica e em horários de funcionamentos compatíveis com a realidade daquela comunidade local. 

2. Continuidade do atendimento

O atendimento na APS não é único. Deve haver uma continuidade do serviço de forma regular e frequente ao longo do tempo. 

Isso quer dizer que o cidadão deve manter um vínculo com o serviço para que o resultado possa ser mais eficiente, caso ocorra uma nova necessidade de atendimento. 

Para que isso aconteça, a unidade de APS deve identificar todos os indivíduos da população que devem receber seu atendimento no local.

É essencial manter o cadastro dos usuários da unidade de saúde sempre ativos e educar a população para que a utilizem periodicamente para consultas. Somente quando for um exame específico ou uma consulta com um especialista que o caso deve ser redirecionado.

3. Integralidade do serviço

Esse atributo significa que as unidades de atenção primária devem ser capazes de oferecer todos os serviços necessários para lidar com sintomas, sinais e diagnósticos de doenças. 

Isso inclui o encaminhamento para consultas com médicos especialistas e serviços de suporte como, por exemplo, a internação domiciliar.

Ou seja, mesmo que o paciente seja encaminhado a outras unidades, o serviço de atenção primária continua com parte da responsabilidade pelo seu atendimento.

Além disso, a integralidade do serviço inclui também a possibilidade de visitas domiciliares, reuniões com a comunidade e ações intersetoriais.

4. Coordenação do cuidado

Esse último atributo está relacionado ao anterior. Pois quando parte do atendimento é remanejado para outros níveis de atenção cabe a equipe de atenção primária organizar, coordenar e integrar os cuidados com o paciente. 

Ou seja, deve haver uma continuidade no contato entre os profissionais de níveis diferentes, mesmo que seja por meio de prontuários.

Equipe mínima para trabalhar com APS

Equipe mínima para trabalhar com APS

De acordo com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), a equipe de profissionais para atuar na atenção primária deve ter caráter multiprofissional e interdisciplinar.

A composição mínima para trabalhar com APS envolve:

  • Um médico de família e comunidade ou especialista em clínica médica com capacitação e experiência em APS;
  •  Um enfermeiro especialista em saúde da família ou generalista; e 
  • Outro profissional de saúde de nível superior.

Além disso, de acordo com os procedimentos oferecidos a unidade de atenção primária deve contar na sua equipe profissionais de acordo com as suas especificidades. Como, por exemplo, fisioterapeutas, psicólogos, nutricionistas, fonoaudiólogos, assistentes sociais, terapeutas ocupacionais, cirurgião dentista, etc.

Atenção Primária à Saúde e o Plano de Saúde

Segundo um estudo realizado pelo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS), o plano de saúde atende em 86,6% os atributos da Atenção Primária à Saúde.

Isso significa que os atributos necessários para a prestação do serviço são amplamente identificados nas operadoras de plano de saúde

Esse é um grande avanço para o setor e representa um progresso na quebra de paradigma do atual sistema privado de saúde. Ou seja, essa pesquisa é uma das provas de que as operadoras de plano de saúde estão avançando na qualidade dos atendimentos iniciais prestados aos pacientes.

Conclusão

No artigo de hoje te expliquei o que é Atenção Primária à Saúde. Te mostrei quais os objetivos dela e quais são os 4 atributos.

Além disso, te expliquei também qual é a equipe mínima para um atendimento de qualidade na APS e como está ela está acontecendo nos planos de saúde. 

Se você tiver qualquer outra dúvida sobre esse assunto, deixe um comentário. A nossa equipe fará o possível para te responder!

 

Emprego terceira idade? 48 oportunidades para quem não quer ficar parado

Emprego terceira idade? 48 oportunidades para quem não quer ficar parado

Pode parecer loucura emprego terceira idade, mas tem muita gente que não gosta de ficar parado e prefere uma ocupação, além de hobbies e ficar cuidando dos netos

De acordo com uma pesquisa de 2019 do Associated Press-NORC Center for Public Affairs Research, dois em cada 10 trabalhadores com mais de 50 anos não querem parar de trabalhar e uma em cada cinco pessoas com mais de 65 anos está trabalhando ou procurando ativamente por trabalho.

Ou seja, emprego na terceira idade é mais comum do que você imagina. Seja para complementar uma renda ou apenas para se manter ativo. 

Convenhamos também que não é qualquer tipo de trabalho que uma pessoa com mais de 60 anos pode fazer sem correr o risco de sofrer uma lesão crônica. Mesmo os idosos que praticam atividade física regularmente é importante se atentar a oportunidades que se adéquem a sua idade. 

Mas fique tranquilo que separei para você 48 oportunidades para quem não quer ficar parado na terceira idade. 

Veja só!

9 melhores empregos de meio período para idosos

Uma boa opção para quem procura emprego na terceira idade são aquelas de meio período. Isso porque não demanda todo o tempo do idoso e o mantém livre para outras tarefas. 

Sendo assim, algumas dessas opções é ser um tutor (para aqueles idosos que desejam compartilhar seu conhecimento), embaixador de uma marca (para aqueles que tem uma rede social grande e quer ser digital influencer), assistente administrativo, monitor em escolas ou bibliotecas, demonstrador de alimentos ou produtos, motorista de aplicativo, babá, zelador, atendente de estacionamento, entre outros.

Talvez você acredite que é complicado encontrar alguma dessas vagas, mas você pode fazer isso conversando diretamente com as pessoas ligadas a função que você quer desempenhar. 

Esse tipo de conexão pode te ajudar a encontrar um trabalho de meio período. Pois nem sempre as pessoas sabem que alguém da terceira idade está procurando um emprego. 

11 empregos com horário flexível para terceira idade

Agora se você quer definir sua própria agenda ou trabalhar algumas manhãs, ou algumas noites a melhor opção é procurar emprego com horário flexível. 

Isso quer dizer que o idoso pode trabalhar como carpinteiro, chaveiro, operador de caminhão de reboque, motorista de entrega, professor para vestibular e ENEM, revisor de texto, motorista de ônibus escolar, representante de vendas, instrutor de ioga, agente de viagens, escritor de blogs e livros. 

Nesses casos você pode abrir o seu próprio negócio ou enviar currículos para por sites de busca de emprego como, por exemplo, o Indeed e o Vagas.com.

Mesmo que você não tenha nenhuma qualificação, você pode procurar cursos rápidos presenciais e até mesmo na internet para se qualificar e voltar ao mercado de trabalho. 

11 empregos de baixo estresse para aposentados 

11 empregos de baixo estresse para aposentados 

Se você quer continuar trabalhando, mas não quer passar por todo o estresse e cansaço físico e mental que um emprego regular, geralmente, possui. 

O ideal é procurar um emprego que seja apenas para complementar a renda e não exige muitas responsabilidades. 

Como, por exemplo, passeador de cães, entregador, assistente de biblioteca, trabalhador de cafeteria, governanta, representante de atendimento ao cliente, cozinheiro, call center, assistente de paisagismo, porteiro, trabalhador de abrigo de animais, entre outros. 

É claro que existe a discriminação por idade no mercado de trabalho, no entanto, há várias empresas que prezam pela experiência e por profissionais mais maduros. 

Esteja confiante e fale sempre com as pessoas certas para conseguir um emprego na terceira idade.

7 opção de home office (ou teletrabalho) para idosos

Há também aquelas pessoas que apesar de querer se manter ativa no mercado de trabalho, prefere continuar em casa. 

Isso é totalmente possível. Há diversas empresas que oferecem vagas de emprego para home office (teletrabalho). 

As vagas mais comuns são para trabalhar como assistente de mídia social, editor/revisor de texto, tutor online, assistente virtual, designer, editor de vídeo, criador de conteúdo (blog, vídeos). 

Além dessas carreiras terem a possibilidade de trabalhar de casa, para se qualificar pra elas, geralmente, não é necessário um diploma. 

Você pode fazer curso de qualificação pela internet ou até mesmo ir aprendendo por conta própria até conseguir um emprego na área. 

Com o marketing digital em alta atualmente as possibilidades são infinitas. Tanto para aprender como para conseguir um emprego e até mesmo para empreender na internet.  

9 trabalhos voluntários para aposentados

Agora se você quer trabalhar apenas para não ficar sozinho ou com muito tempo livre, uma opção é encontrar um trabalho voluntário. 

É claro se dinheiro não for uma prioridade para você. O que, na verdade, é o caso de muitos idosos. 

Pois é comum depois de se aposentar as pessoas da terceira idade usar o seu tempo livre para desenvolver um hobby ou ajudar outras pessoas. 

Como trabalhar, por exemplo, em abrigo de animais, hospitais, creches, orfanatos, igrejas, escolas, com mentoria, como voluntário de conservação ambiental, no Centro de Valorização da Vida (CVV)…

Sempre também há possibilidade de fazer o seu próprio projeto. Pode ser para ler para outras crianças, distribuir livros, brinquedos ou somente conversar.   

Conclusão

No artigo de hoje te expliquei 48 oportunidades para quem quer ter um emprego na terceira idade. 

Separei por setores e te mostrei opções para trabalhar meio período, home office, com horário flexível, com baixo estresse e voluntariamente. 

Se alguma dessas dicas te ajudou deixe um comentário. E se você é um idoso ou conhece alguém da terceira idade que trabalha, conta aqui para gente nos comentários.

 

O que é invalidez parcial

O que é invalidez parcial?

Se você NÃO sabe o que é invalidez parcial, você precisa compreender esse conceito antes de contratar um seguro de vida. 

Isso porque esse é um termo essencial para você ter segurança quando precisar acionar o seu seguro

Nesse artigo, além de explicar o que é invalidez parcial, vou te mostrar também quais são os casos que se encaixam nessa definição e como funciona a indenização. 

Vamos começar do início…

Tipos de invalidez

Existem dois tipos de invalidez: parcial e total. A invalidez total é aquela que caracteriza perda por completo das funções de um determinado órgão, membro ou parte do corpo. 

Já a invalidez parcial é quando há perda fracionária das funções. 

Além disso, as seguradoras também podem oferecer coberturas para invalidez por doença ou invalidez por acidente, independente da causa.

Nesse artigo, vou te mostrar…

O que é invalidez parcial

A invalidez parcial é a incapacidade do segurado de desempenhar uma ou mais tarefas importantes para a sua ocupação. 

Por exemplo, quando o segurado não consegue trabalhar integralmente depois de um acidente, mas consegue executar algumas tarefas da sua ocupação.

No entanto, essas situações devem ser analisadas em cada contrato individualmente. 

Isso porque os benefícios oferecidos variam de uma seguradora para outra e, geralmente, são derivadas de uma fórmula que garante o pagamento mensal ou total da indenização. 

Outro ponto importante é entender que, normalmente, as seguradoras usam dois termos para distinguir a capacidade de desempenhar as tarefas: ocupação própria e qualquer ocupação.

A política de ocupação própria é quando a invalidez impede o segurado de desempenhar os importantes deveres de sua ocupação na qual exerciam antes de sua deficiência, ou seja, ele não pode desempenhar todos os deveres importantes.

Já a política de qualquer ocupação é quando a invalidez impede o segurado de desempenhar os deveres de qualquer ocupação pela qual foram treinadas.

Causas comuns de invalidez parcial

Agora que você já sabe o que é invalidez parcial, vou te mostrar as causas mais comuns que fazem parte da cobertura do seguro por invalidez parcial.

As principais causas de invalidez parcial abordadas nas seguradoras envolve ataques cardíacos, câncer, problemas no pescoço e nas costas, diabetes, fibromialgia…

Além disso, também abrange:

  • Perda total da visão de um olho; 
  • Surdez total incurável de um ou de ambos os ouvidos;
  • Mudez incurável;
  • Fratura não consolidada do maxilar inferior;
  • Imobilidade do segmento cervical da coluna vertebral;
  • Perda total do uso de um dos membros superiores, de um dos polegares ou de um dos pés; 
  • Fratura não consolidada;
  •  Amputação;
  •  Entre outros.

Cuidados ao contratar o seguro por invalidez

Cuidados ao contratar o seguro por invalidez

Observe que há diferença quando você contrata um seguro para cobrir casos de invalidez temporária e permanente. 

No caso da invalidez permanente, a cobertura do seguro, normalmente, só vale depois que se esgotarem todas as formas de tratamentos médicos disponíveis.

Agora se um mesmo acidente causar a invalidez de mais de um membro ou órgão, o capital segurado será a soma dos dois percentuais.

Funciona assim: cada apólice de seguro determina um percentual em cima do capital segurado caso ocorra algum dos sinistros listados. Se houver mais de um, haverá a soma desses percentuais.

Mas se por acaso o segurado sofrer um acidente, ficar inválido e depois ocorrer o óbito, os percentuais não serão acumulados. 

Além disso, a perda de dentes e os danos estéticos, geralmente, não fazem parte da cobertura do contrato e não dão direito a indenização.

Qual é a indenização para invalidez parcial?

Como te expliquei anteriormente, a invalidez parcial se configura quando, por exemplo, o segurado perde um membro e ainda tem condições de trabalhar na mesma função ou em outra ocupação. 

Nesses casos o seguro vai indenizar essa perda se estiver dentro das coberturas determinadas na apólice de seguro. 

É importante entender, que só se configura invalidez parcial quando estiverem esgotados todas as formas de tratamento e recursos terapêuticos para recuperação do segurado.

A indenização, de acordo com os percentuais estabelecidos no contrato, só poderá ser resgatada após alta médica definitiva.

Depois que o segurado receber alta médica definitiva, a seguradora pagará uma indenização de acordo com os percentuais estabelecidos no contrato.

A indenização por perda parcial terá uma diminuição proporcional ao grau da redução da capacidade funcional do segurado. Sobre essa redução é aplicado um percentual previsto no plano do seguro para a perda total do membro ou órgão lesado.

Como é feito o cálculo de indenização para invalidez parcial?

Para verificar qual o grau de invalidez, cada seguradora pode desenvolver sua própria tabela. 

Os valores devem seguir o padrão mínimo fixado pela Superintendência Nacional de Seguros (Susep).

Essa tabela serve para auxiliar no cálculo da indenização. Nela é apresentado percentuais aplicados sobre o capital segurado (valor da indenização) para cada sinistro.

Vou te explicar como isso acontece.

Primeiro a seguradora apura qual o grau de invalidez apontado pelo médico. Depois aplica-se o percentual indicado na Tabela de Invalidez da seguradora e, sobre esse resultado, aplica-se o Capital Segurado contratado.

Por exemplo, digamos que o segurado sofreu surdez depois de acidente, na tabela para esses casos aplicam-se 20% e a cobertura total contratada é R$ 50 mil. Depois da apuração do grau de invalidez testifica-se que a invalidez parcial é de 50%.

Sendo assim, o valor da indenização ficaria R$ 5 mil (50% de grau de invalidez apurado x 20% correspondente à surdez x R$ 50 mil).

Por isso, é importante você consultar a sua apólice e verificar a tabela de cálculo de indenização em casos de invalidez parcial.

Na falta dessa indicação poderá ser utilizada a classificação máxima (75%), média (50%) ou mínima (25%).

Conclusão

Nesse artigo te expliquei o que é invalidez parcial. Te mostrei quais são os tipos de invalidez que podem aparecer no contrato de um seguro de vida e quais as causas comuns que podem fazer parte da cobertura. 

Além disso, te mostrei quais cuidados você precisa ter ao ler o contrato e como é feito o cálculo para indenização. 

Se você tiver alguma dúvida sobre esse assunto, deixe um comentário que a nossa equipe fará o possível para te responder.

 

O que é saúde bucal

O que é saúde bucal?

Saber o que é saúde bucal é essencial para se manter saudável. Isso porque, segundo a Organização Mundial de Saúde, a saúde bucal é um indicador-chave da saúde geral, bem-estar e qualidade de vida. 

O que quero te dizer é que muitas vezes negligenciamos a saúde da nossa boca porque não sabemos (ou esquecemos) que ela abrange uma série de doenças que variam de cárie dentária até câncer de boca. 

Cerca de 3,5 bilhões de pessoas em todo mundo sofre de alguma doença bucal, elas podem surgir em qualquer pessoa e em qualquer idade. Muitas vezes elas podem afetar a produtividade da pessoa na escola, no ambiente de trabalho e causar problemas sociais e pessoais. 

Quem já sentiu uma dor de dente ou já teve mau hálito sabe que estou falando. Esses dois fatores devem ser analisados por um profissional qualificado antes mesmo de se tornar algo mais grave. 

Por isso, nesse artigo vou te mostrar quais são as doenças, quais os tratamentos e o que você pode fazer para cuidar da sua saúde bucal e da sua família

Quais são as doenças bucais?

O recomendado é ir ao dentista, pelo menos, duas vezes no ano. Assim você consegue detectar qualquer problema antes que apareça algum sintoma mais grave. 

Geralmente, os principais sintomas que levam uma pessoa a procurar um dentista são feridas ou áreas sensíveis da boca que não cicatrizam após uma semana, ou duas, sangramento ou gengivas inchadas após escovação, ou uso do fio dental, mau hálito crônico, sensibilidade repentina a temperatura ou bebidas quentes e frias, dor ou dentes soltos (rachados ou quebrados), inchaço da face e bochecha, entre outros.

Além disso, se com algum desses sintomas também houver febre alta e inchaço facial ou no pescoço, deve-se procurar um médico de emergência. 

Essas condições acontecem porque a nossa cavidade oral coleta várias bactérias, vírus e fungos. Claro que alguns deles pertencem ao nosso próprio organismo e em pequenas quantidades são inofensivos. 

Mas agora vou te mostrar quais são as principais doenças bucais ocasionadas por eles. 

Cáries dentárias

O consumo alto de açúcar cria condições para que as bactérias produtoras de ácido floresçam em maior quantidade. Daí esse ácido dissolve o esmalte dos dentes e causa cáries dentárias.

Gengivite e periodontite

Já as bactérias próximas à gengiva quando prosperam demais criam uma matriz pegajosa chamada placa. Ela se acumula, endurece e migra pelo comprimento do dente. Dessa forma, se ela não for removida regularmente por escovação e uso do fio dental, pode inflamar as gengivas e causar gengivite.

Os casos mais avançados, periodontite, acontece porque o aumento da inflamação fez com que as gengivas afastassem os dentes. Esse processo cria bolsos nos quais o pus pode se acumular. 

Os fatores que contribuem para a gengivite e a periodontite, geralmente, são fumar, maus hábitos de escovação, lanches frequentes de alimentos e bebidas açucarados, diabetes, história familiar ou genética, HIV ou AIDS, alterações hormonais nas mulheres, refluxo ácido ou azia, entre outros. 

Câncer bucal

O câncer bucal pode ocorrer nos lábios, outras partes da boca e orofaringe. Ele é mais comum em homens e em idosos, isso porque o uso de tabaco e álcool estão entre as principais causas de câncer de boca. 

Noma

Noma é uma doença grave que atinge a boca e o rosto. Ela afeta, principalmente, crianças entre 2 e 6 anos que sofrem de desnutrição ou que tenha um sistema imunológico debilitado.

Essa doença começa como uma lesão de tecido mole (uma ferida) nas gengivas, dentro da boca, evolui para uma gengivite necrosante aguda e depois progride rapidamente, destruindo os tecidos moles.

Sem tratamento, o noma é fatal em 90% dos casos. Já aqueles que sobrevivem sofrem de grave desfiguração facial, têm dificuldade em falar e comer.

Quando detectado no seu estágio inicial, o noma pode ser rapidamente interrompido, através de higiene básica, antibióticos e nutrição melhorada.

Fenda labial e palatina

As fissuras labiais afetam mais os recém-nascidos. Ela é ocasionada por uma predisposição genética, má nutrição materna, consumo de tabaco, álcool e obesidade durante a gravidez.

Por outro lado, se forem tratadas por cirurgia, é possível uma reabilitação completa.

Doenças não transmissíveis 

O uso de tabaco, consumo de álcool e uma dieta não saudável e rica em açúcares livres são as principais condições de risco para doenças não transmissíveis como doenças cardiovasculares, câncer, doenças respiratórias crônicas e diabetes.

Como cuidar da saúde bucal?

Como cuidar da saúde bucal?

A incidência de doenças bucais podem ser reduzidas com atitudes preventivas simples como, por exemplo: 

  • Manter uma dieta equilibrada, pobre em açúcares livres e rica em frutas e vegetais;
  • Promover a água como bebida principal durante o dia a dia;
  • Interromper o uso de todas as formas de tabaco;
  • Reduzir o consumo de álcool;
  • Incentivar o uso de equipamentos de proteção ao praticar esportes e viajar de bicicleta e motocicleta (para reduzir o risco de lesões faciais);
  • Acompanhamento constante ao dentista;
  • Escovar os dentes com creme dental, pelo menos, 3 vezes ao dia;
  • Utilizar o fio dental, pelo menos, uma vez por dia.

Quais os tratamentos para os problemas de saúde bucal?

Mesmo seguindo os cuidados que te falei no tópico anterior, você ainda vai precisar passar por um dentista, nem que seja apenas duas vezes ao ano para uma visita de rotina. 

Isso porque assim você vai conseguir, se necessário, iniciar os tratamentos antes mesmo do agravamento das doenças, além de manter a sua saúde bucal em dia. 

Aqui listei para você as principais formas de tratamentos para os problemas de saúde bucal. Veja só:

Limpezas

Mesmo com o uso do fio dental e a escovação constante, você vai precisar fazer uma limpeza profissional. 

Isso porque assim você pode se livrar de qualquer placa que não foi removida pelos processos rotineiros. 

Essa limpeza profunda também ajuda a remover o tártaro que não pode ser alcançada durante uma limpeza de rotina (de cima e abaixo da linha da gengiva).

Após essa limpeza, o dentista pode aplicar também um tratamento com flúor. Ele  ajuda a combater as cáries, a fortalecer o esmalte do dente e torná-lo mais resistente a bactérias e ácidos.

Antibióticos

Se você mostrar sinais de uma infecção na gengiva ou se tiver um abscesso dentário, um dos tratamentos é a prescrição de antibióticos que ajudam a se livrar da infecção. 

Esses antibióticos podem ser um enxaguante bucal, gel, comprimido oral ou cápsula. 

Coroas e selantes

Esses procedimentos são realizados para reparar uma cavidade, rachadura ou furo no dente. 

Uma coroa é usada se uma grande parte do seu dente precisar ser removida ou se quebrar devido a uma lesão. Já os selantes dentários são revestimentos finos e protetores que são colocados nos dentes posteriores, ou molares, para ajudar a prevenir cáries. 

Canal radicular

Se a cárie atingir todo o caminho do dente até o nervo, será necessário realizar um canal radicular. 

Durante esse procedimento, o nervo é removido e substituído por um preenchimento feito de um material biocompatível.

Conclusão

Nesse artigo te expliquei o que é saúde bucal. Provavelmente, você conseguiu entender por que é tão importante cuidar da saúde da boca.

Te mostrei quais são as principais doenças que podem te atingir, como você pode cuidar da sua saúde bucal e quais são os principais tratamentos realizados pelos dentistas.

Se você tiver qualquer dúvida sobre esse assunto deixe um comentário! Faremos o possível para te responder!

 

Saúde mental e trabalho: qual a relação entre eles?

Saúde mental e trabalho: qual a relação entre eles?

Há uma relação direta entre saúde mental e trabalho que você precisa entender. Mesmo que você seja empregador ou empregado. 

Por passar a maior parte do nosso tempo no ambiente de trabalho, devemos entender que esse lugar está ligado como nós se sentimos. 

Além disso, como estamos no trabalho também afeta as nossas relações com a família e amigos. 

Digo isso porque além da pesquisa que fiz para escrever esse artigo eu também já passei por situações no trabalho que afetaram a minha saúde mental e todas as outras áreas da minha vida. 

E se você não se sente à vontade no seu ambiente de trabalho, se sente inferior, desanimado ou não tem vontade nenhuma de estar naquele lugar você precisa ler esse artigo. 

Mas se você não sente nenhum dessas coisas que citei e conhece alguém assim, envia esse artigo para ela. 

Aqui vou te mostrar o que de fato é saúde mental, qual a ligação dela com o trabalho, quais os fatores de riscos e o que pode ser feito para criar um ambiente de trabalho mais saudável. 

Vamos lá?

O que é saúde mental?

Saúde mental nada mais é como você está pensando ou se sentindo ao lidar com os altos e baixos da vida. 

Isso quer dizer que quando estamos com uma boa saúde mental, temos um propósito, uma direção para seguir. A nossa energia para realizar tarefas nos deixa animados e conseguimos lidar perfeitamente com os desafios que aparecem ao longo do dia. 

Pode parecer complexo, mas não é. Veja só: quando você está com uma boa saúde física você consegue fazer caminhadas mais longas sem perder o fôlego, certo?

Com a saúde mental é basicamente a mesma coisa. Quando você está com ela em bom estado você aproveita ao máximo seu potencial, lida com o que a vida joga para você e desempenha um papel completo em seus relacionamentos.

O fato é que a sua saúde mental nem sempre permanece a mesma. É normal ela variar devido algumas circunstâncias, o problema é quando ela está sempre no nível mais baixo. 

Ainda comparando com a saúde física, quando sua saúde mental está ruim é como se você estivesse com obesidade ou qualquer outro problema de saúde.

Ou seja, se uma angústia é persistente, por exemplo, ela pode ocasionar uma depressão ou ansiedade. 

Por isso, precisamos cuidar da nossa saúde mental antes mesmo de adquirir uma doença ou um transtorno. E o ambiente de trabalho é um fator decisivo nessa jornada. 

O que são problemas de saúde mental?

Os problemas de saúde mental podem surgir em qualquer pessoa. Isso porque eles estão associados a fatores como pobreza, genética, trauma na infância, discriminação ou doenças físicas contínuas.

É normal sentir tristeza, estresse ou ficar assustado com alguma situação, esses sentimentos passam. Mas o problema é quando eles são frequentes e acabam causando problemas de saúde mental como, por exemplo, ansiedade, depressão, alcoolismo, esquizofrenia, entre outros.

Como reconheço um problema de saúde mental?

Provavelmente uma das perguntas que estão surgindo na sua cabeça agora é como você reconhece um problema mental. 

Como eles estão ligados a fatores comuns do nosso dia a dia, muitas vezes podemos confundir quando é apenas alguns dias ruins e quando devemos procurar ajuda. 

Essa confusão é totalmente normal, pois a nossa sociedade ainda não está educada para diferenciar essas duas situações. 

Para reconhecer quando há um problema de saúde mental, sempre que houver alguns desses sintomas você deve procurar um médico ou psicólogo. Geralmente, esses sintomas estão relacionados a sua própria percepção, ou seja, quando os sentimentos estiverem:

  • Te impedindo de seguir com a vida;
  • Tendo um grande impacto nas pessoas com quem você vive ou trabalha;
  • Afetar seu humor por várias semanas;
  • Fazer com que você tenha pensamentos suicidas.

No trabalho, a saúde mental também deve ser analisada. É normal o cansaço, desânimo e o mau humor nos dias difíceis. Tem dias que não queremos falar com ninguém e apenas focar no trabalho para acabar logo de uma vez. 

No entanto, o isolamento social, a distração constante e até mesmo a procrastinação são sintomas de alerta para a saúde mental do trabalhador. 

Entendendo a ligação entre trabalho e saúde mental

Entendendo a ligação entre trabalho e saúde mental

Segundo a Organização Nacional de Saúde (OMS), o trabalho é bom para a saúde mental, mas um ambiente de trabalho negativo pode levar a problemas de saúde física e mental.

O desenvolvimento de um problema mental é o resultado de uma interação entre fatores biológicos, psicológicos e socioambientais. O que significa que o ambiente de trabalho é um contexto social com potenciais chances de desenvolver um problema de saúde mental.

Uma pesquisa mostrou que a má organização e gerenciamento do trabalho desempenham um papel significativo no desenvolvimento de problemas de saúde mental. 

Isso porque as questões psicossociais estão associadas ao risco de depressão, mau funcionamento da saúde, ansiedade, angústia, fadiga, insatisfação no trabalho e desgaste físico e emocional.

De maneira geral, os fatores do trabalho que estão relacionados a saúde mental são:

  • Longas horas de trabalho; 
  • Sobrecarga de trabalho e pressão; 
  • Falta de participação na tomada de decisão; 
  • Fraco apoio social;
  • Altos esforços e baixas recompensas no trabalho;
  • Políticas inadequadas de saúde e segurança;
  • Más práticas de comunicação e gerenciamento;
  • Baixo controle sobre a área de trabalho;
  • Horas de trabalho inflexíveis;
  • Tarefas pouco claras ou objetivos organizacionais.
  • Entre outros. 

Outro estudo realizado no Canadá mostrou que o estresse no trabalho está significativamente associado ao risco de episódios depressivos. Os indivíduos que relataram ter estresse no trabalho tiveram 2,35 vezes mais chances de relatar um episódio depressivo maior. 

Ou seja, o estresse no trabalho pode aumentar o risco relativo de exposição a riscos psicossociais e problemas de saúde mental. 

Além disso, o desemprego também é um fator de risco para problemas de saúde mental e, assim como um ambiente de trabalho negativo, pode levar ao uso nocivo de substâncias ilícitas ou álcool. 

 

Criando um local de trabalho saudável

Um ambiente de trabalho saudável é aquele em que a equipe de gestores e colaboradores estão em harmonia e contribuem para a segurança e o bem-estar de todos.

Dessa forma, para criar uma relação saudável entre saúde mental e trabalho é importante que os empregadores conscientizem a sua equipe como, por exemplo, oferecendo palestras que ajudem a compreender as oportunidades e necessidades de cada funcionário e a aprender sobre como motivar os líderes organizacionais e funcionários.

Além disso, os empregadores também podem:

  • Implementar e aplicar as políticas e práticas de saúde e segurança;
  • Informar a equipe que o apoio está disponível;
  • Envolver os funcionários na tomada de decisões;
  • Realizar práticas organizacionais que apoiam um equilíbrio saudável entre vida profissional e familiar;
  • Realizar programas para desenvolvimento de carreira de funcionários;
  • Reconhecer e recompensar a contribuição dos funcionários.

Enfim, disponibilizar tempo e recurso para práticas e intervenções que estejam integradas a saúde e bem-estar físico e emocional dos colaboradores.

Por outro lado, os próprios funcionários também podem tomar atitudes para manter uma boa saúde mental como, por exemplo, falar sobre seus sentimentos com alguém, realizar atividades físicas regularmente, ter uma boa noite de sono, se alimentar bem, beber água com frequência, se divertir, encontrar um hobby, se levantar e fazer um alongamento durante a jornada de trabalho…

Conclusão

Nesse artigo eu te mostrei qual é a relação direta entre saúde mental e trabalho. Você viu quais são os problemas de saúde mental e como você reconhece eles.

Além disso, te mostrei como a saúde mental é afetada no local de trabalho e quais atitudes podem ser colocadas em prática para criar um ambiente saudável para todos (empregadores, colaboradores e gestores).

Se esse artigo te ajudou de alguma forma, deixe um comentário. Ou se você já passou por alguma das situações citadas no texto compartilhe com a gente. 

Seguro de vida resgatável: vantagens e desvantagem

Seguro de vida resgatável: vantagens e desvantagens

O seguro de vida resgatável ainda causa muitas dúvidas para as pessoas.  O nome pode parecer sugestivo, mas ele pode confundir se você não compreender exatamente o que ele significa. 

Além disso, como qualquer produto, esse tipo de seguro possui vantagens e desvantagens. 

É isso que vou te mostrar agora. O objetivo é você tirar suas próprias conclusões e decidir se essa é a melhor opção para você. 

Mas antes, você sabe…

O que é seguro de vida resgatável?

O seguro de vida resgatável é um tipo de seguro de vida em que você pode resgatar a indenização em caso de morte ou invalidez, ou recuperar um montante ainda em vida. 

Ou seja, trata-se de um produto que une o seguro de vida e uma reserva de sobrevivência.

Geralmente,  nesse caso o prêmio a ser resgatado tem valor fixo e não sofrem correção de preço ao longo dos anos em função da idade do segurado.

Isso quer dizer que as correções ocorrem somente por causa da inflação

Sendo assim, entende-se que esse tipo de seguro, além de pagar uma indenização em caso de morte ou invalidez, caso o segurado desista da apólice no meio do caminho, desde que respeitada a carência de 24 meses, poderá recuperar parte do dinheiro aplicado.

Como funciona o seguro de vida resgatável?

A carência para resgate nessa modalidade de seguro de vida é de 24 meses e o capital segurado é corrigido com juros acima da inflação.

No entanto, é preciso entender como funciona a formação desta reserva financeira resgatável.

Primeiro que não será a devolução dos prêmios pagos ou parte do capital segurado, e sim uma reserva financeira pré-estabelecida em contrato. 

Isso porque cada cliente possui um perfil diferente e, a partir da análise de risco, a seguradora ajuda a determinar qual o valor da indenização.

Outro ponto importante é que a proteção pode ser cancelada logo depois do resgate da indenização. 

Por isso, é essencial entender que cada seguradora tem suas próprias especificidades em relação às condições do seguro, por isso verifique com ela, antes de se decidir. 

Vantagens de ter um seguro de vida resgatável

Vantagens de ter um seguro de vida resgatável

Agora que você já entendeu o que é e como funciona um seguro de vida resgatável, separei primeiro as vantagens de contratar esse seguro e depois vou te mostrar quais são as desvantagens. 

Vamos lá?

Fusão entre proteção familiar e investimento

Isso significa que o seguro de vida resgatável, além de você pode resgatar a indenização em caso de morte, invalidez ou doença você também retirar o dinheiro para eventuais emergências. 

Ou seja, depois do prazo de carência, independente do motivo você pode resgatar a sua indenização.

Sendo assim, o segurado pode solicitar o resgate para suprir uma dificuldade de pagamento, para uma necessidade urgente de recursos, entre outros assuntos particulares. 

Sem contar que nessa modalidade também há a possibilidade de coberturas para despesas médicas, hospitalares, odontológicas e até mesmo seguro-viagem permanente.

Manutenção do equilíbrio dos valores mensais ao longo dos anos

No seguro de vida tradicional, o valor do prêmio pode ser alterado sempre que o segurado mudar de faixa etária. 

Já no seguro de vida resgatável esse ajuste não é necessário. Os únicos ajustes que podem ser realizados é segundo a inflação ou uma porcentagem anual pré-estabelecida em contrato. 

Isenção de imposto de renda e ITCMD

Assim como o seguro de vida tradicional, o resgatável não é considerado uma herança e, por isso, não é necessário o pagamento do Imposto sobre Transmissão Causa Mortis (ITCMD).

Além disso, ele também é um dos produtos de proteção financeira que são isentos de Imposto de Renda.

Facilidade de pagamento do benefício a qualquer pessoa indicada pelo segurado

Essa é outra similaridade com o seguro de vida tradicional. O segurado pode adicionar a sua lista de beneficiários quem ele quiser. 

Ou seja,  ele pode adicionar pessoas que não são da família, assim como amigos e instituições. 

Quais são as desvantagens do seguro de vida resgatável?

Como te disse anteriormente, assim como qualquer produto, o seguro de vida resgatável também possui suas desvantagens. 

Por isso, preciso deixar claro para você quais são elas. Veja só:

Não é um investimento financeiro

O seguro de vida resgatável não é um investimento financeiro, mas sim investimento familiar. 

O que isso quer dizer?

Um investimento financeiro funciona com um rendimento em cima das aplicações mensais, já o seguro de vida resgatável possui um valor de indenização determinado e ajustado conforme a inflação. 

O cancelamento gera perdas

Como o seguro de vida resgatável é um contrato de longo prazo, o seguro deve manter o pagamento até quando for permitido o resgate da indenização. 

Ou seja, se dentro do prazo de carência você parar de pagar ou cancelar o seguro você vai perder o valor que já foi pago.

Além disso, há contratos que aplicam uma penalidade financeira caso aconteça o cancelamento antes do prazo estipulado. Essa multa podem variar 35% do valor total investido.

Perda de proteção

Com o cancelamento ou resgate antecipado, geralmente, a proteção no caso de sinistro é perdida também. 

Conclusão

Nesse artigo eu te expliquei o que é seguro de vida resgatável e como ele funciona. 

Além disso, te mostrei as vantagens e desvantagens de ter esse produto. Como, por exemplo, a isenção de impostos e a perda de proteção.

Agora é com você…

Se você tiver qualquer outra dúvida sobre o assunto, deixe um comentário que a nossa equipe fará o possível para te responder. 

Os 7 benefícios da chia para a saúde

Os 7 benefícios da chia para a saúde

Você sabe quais são os benefícios da chia para a saúde? Talvez você conheça essa semente, talvez não, mas vou te mostrar aqui, praticamente, tudo o que você precisa saber sobre ela. 

Além disso, vou te mostrar também receitas em que você pode utilizar a chia. Vamos lá?

O que é chia?

Chia é uma semente comestível e é nativa do centro e sul do México. Uma porção de 28 gramas de sementes de chia contém:

  • 11g de fibras;
  • 4g de proteína;
  • 9g de gordura (5 gramas são de ômega-3);
  • 18% de cálcio
  • 30% de manganês;
  • 30% de magnésio;
  • 27% de fósforo;

Além de conter uma quantidade razoável de zinco, vitamina B3 (niacina), potássio, vitamina B1 (tiamina) e vitamina B2.

1) Sementes de Chia são carregadas com antioxidantes

Um dos benefícios da chia para a saúde é que ela tem um alto teor de antioxidantes. Isso quer dizer que ela é importante para combater a produção de radicais livres, que podem danificar as moléculas celulares e contribuir para o envelhecimento e doenças como o câncer.

2) Os carboidratos da chia são de fibra

Uma porção de 28 gramas de sementes de chia tem 12 gramas de carboidratos. Sendo que 11 desses gramas são de fibra.

Isso significa que a chia te ajuda a comer menos calorias e mantém a flora intestinal funcionando corretamente.

3) Sementes de Chia são proteínas de alta qualidade

Sementes de Chia são proteínas de alta qualidade

Outro benefício das sementes de chia é que ela contém uma quantidade razoável de proteínas. Em porcentagem, são cerca de 14% de proteína.

Uma pesquisa mostrou que a alta ingestão de proteínas diminui o apetite, reduz os pensamentos obsessivos sobre alimentos em 60% dos casos e o desejo de lanches noturnos em 50%.

Ou seja, a proteína tem vários benefícios à saúde e é um dos nutrientes mais essenciais para a perda de peso.

4) O alto teor de fibras e proteínas nas sementes de chia pode ajudar a perder peso

Você conseguiu notar que a chia ajuda a perder peso? Pois é, muitos especialistas em saúde acreditam que as sementes de chia podem ajudar na perda de peso.

Isso porque a sua fibra solúvel absorve grandes quantidades de água e se expande no estômago, o que deve aumentar a plenitude e retardar a absorção dos alimentos.

Além disso, um estudo mostrou que comer sementes de chia no café da manhã ajuda a reduzir o apetite, aumentar a saciedade e reduzir a ingestão de alimentos a curto prazo.

Ou seja, adicionar sementes de chia à sua dieta pode auxiliar na perda de peso.

Mas lembre-se: uma dieta eficaz não é feita apenas de alimentos únicos, mas si com uma composição de vários alimentos, um sono regular e exercícios físicos.

Isso quer dizer que quando combinadas com uma dieta baseada em alimentos reais e um estilo de vida saudável, as sementes de chia podem ajudar a promover a perda de peso.

5) Elas são ricas em muitos nutrientes ósseos importantes

As sementes de chia são ricas em cálcio, magnésio, fósforo e proteínas, ou seja, em nutrientes essenciais para a saúde óssea.

Isso é muito importante porque as pessoas que não podem comer laticínios, podem incorporar a semente de chia na sua alimentação e ter um resultado significativo na quantidade de cálcio no seu organismo.

6) Sementes de Chia podem reduzir os níveis de açúcar no sangue

Estudos mostram que as sementes de chia podem diminuir o aumento de açúcar no sangue após uma refeição rica em carboidratos. 

Isso é importante porque os níveis elevados de açúcar no sangue em jejum são um sintoma típico de diabetes tipo 2 não tratado.

7) As sementes de chia são fáceis de incorporar à sua dieta

Agora que você já entendeu os principais benefícios da chia para a saúde, você pode estar se perguntando como adicionar essa semente na sua alimentação. 

Fique tranquilo que não é nenhum bicho de sete cabeças. Afinal de contas, as sementes de chia são incrivelmente fáceis de incorporar à sua dieta.

Segundo a nutricionista Mayara Regia, você pode usar a chia em praticamente em tudo: salada, arroz,  iogurte, no açaí, etc.

Qual a melhor forma de consumir a chia?

A semente de chia não precisa ser moída para ser consumida, você pode usá-la crua em bebidas, mingau, pudim, smoothies, pão…

Ou você pode usá-las para polvilhar sobre pratos de cereais, iogurte, legumes ou arroz.

Além disso, por ter a capacidade de absorver água e gordura, a semente de chia pode ser usada ​​para engrossar molhos ou substituir os ovos nas receitas.

Quanto posso comer de chia por dia?

O recomendado é uma porção de 20 gramas (cerca de 1,5 colheres de sopa) de sementes de chia, duas vezes por dia.

Você não precisa comer exageradamente, pois as sementes de chia duram de 4 a 5 anos sem refrigeração. Basta você armazenar em local fresco e seco. 

Dica bônus: receitas com semente de chia

As sementes de chia têm pouco (ou nenhum) sabor distinto, portanto não competem com outros sabores em um prato. 

Além disso, como elas amolecem na presença de líquido se tornam uma textura menos detectável.

Sendo assim, separei para você 4 receitas que você pode fazer utilizando a semente de chia. Você vai ver que é super fácil incluí-las para ter uma alimentação saudável. Veja só:

Gel Chia 

  1. Coloque ¼ de xícara de sementes em 1 xícara de líquido, mexa bem e tampe. 
  2. Deixe descansar por cerca de 15 a 20 minutos até que a textura mude para uma gelatina macia. 
  3. Guarde na geladeira por até uma semana. 

Agora é só adicionar o gel de chia em smoothies e sopas. O objetivo é aumentar o valor dos nutrientes e criar uma consistência mais espessa.

Pudim de Chia

View this post on Instagram

Bom diaaa, com receitinha! Excelente opção para consumir no café da manhã. Você faz o preparo de noite e consome no dia seguinte, para dar tempo da chia hidratar e chegar nessa consistência de “pudim”. Já salva a receita pra lembrar de fazer! Ingredientes: – 1 pote de iogurte natural integral; – 1 colher de sopa bem cheia de chia; – 1 colher de sopa de aveia em flocos; – Fruta de sua preferência; – Whey protein (opcional); – 1 colher de sopa de geleia sem açúcar (opcional); Modo de preparo: Em uma vasilha, misture o iogurte, a chia, aveia e o whey. Tampe a vasilha e armazene dentro da geladeira de um dia para o outro (ou por pelo menos 5h). No dia seguinte, salpique as frutas de sua preferência e misture um pouco de geleia, caso queira mais docinho, e consuma. Mais uma receita fácil e deliciosa para vcs! Quando fizer, me diga o que achou. Beijo 😘. . . . . #foodstyling #foodphotography #foodlovers #foodstagram #foodblogger #nutrionline #brasilia #nutricionistabrasilia #receitasfaceis #pudimchia #pudimdechia #lowcarb #chiapudding #alimentacaosaudavel #foodporn #alimentacaoconsciente #comidadeverdade #fitnesslifestyle #healthyfood #healthylifestyle #healthychoices

A post shared by May • Viagens • Receitas (@mayara.nutri) on

Uma das dicas da nutricionista Mayara Regia é essa receita de Pudim de Chia. Dá uma olhada:

Ingrediente:

  • 1 pacote de 170g de iogurte natural
  • 1 colher de sopa de semente de chia
  • 15g ou meio scoop de Whey protein
  • 2 colheres de chia

Modo de preparo

Misture todos os ingredientes e coloque num vidro com tampa, deixe na geladeira pelo menos 5 horas e pronto! No dia seguinte você pode salpicar as frutas de sua preferência e misturar um pouco de geleia, caso queira mais docinho.

Brotos de Chia

  1. Coloque as sementes de chia em uma única camada (use apenas cerca de uma colher de chá para deixar espaço suficiente para crescer);
  2. Pulverize as sementes com água várias vezes e cubra com filme plástico ou um prato de vidro transparente;
  3. Coloque em um local ensolarado. 
  4. Pulverize de manhã e à noite até aparecer brotos verdes, cerca de 3 a 7 dias. 
  5. Use esses microgreens para decorar saladas e sanduíches. 

Substituto do ovo

Como te disse anteriormente, a chia pode ser usada para substituir ovos nas receitas. Para isso basta você seguir as seguintes medidas:

  • Para 1 ovo inteiro, misture 1 colher de sopa de sementes de chia inteiras ou 2 colheres de chá de sementes de chia moídas com 3 colheres de sopa de água.
  • Deixe descansar por pelo menos 5 minutos ou até a mistura engrossar e ficar a consistência de um ovo mexido cru.

Conclusão

No artigo de hoje você viu os benefícios da chia para a saúde. Te mostrei que essa semente tem alto teor de fibras e proteína, além de ajudar na redução de peso e reduzir os níveis de açúcar no sangue.

Além disso, te dei 4 receitas que você pode fazer com a semente de chia. 

Se você tiver alguma dúvida sobre o assunto, entre em contato nos comentários que faremos o possível para te responder. 

 

Como aumentar renda: 10 maneiras inteligentes para fazer um extra

Como aumentar renda: 10 maneiras inteligentes para fazer um extra

Se tem um assunto que todo mundo gosta de conversar é sobre como aumentar renda. O que vou te mostrar aqui são maneiras inteligentes de você fazer uma grana extra. 

Não é errado querer ter um pouco mais de dinheiro. É super normal você querer elevar o seu padrão de vida e dar o melhor para a sua família

E, por outro lado, sei que a maioria das pessoas não quer morrer de tanto trabalhar e não conseguir usufruir o que conquistou. 

Por isso, vou te mostrar como você pode aumentar a sua renda de maneira inteligente, ou seja, aproveitando um pouco do seu tempo livre. 

Vamos lá?

1) Dirija para outras pessoas

Se você tem um carro, tempo livre e adora dirigir, para aumentar a sua renda basta se cadastrar em aplicativos de viagens curtas como, por exemplo, Uber, 99, Carpool, entre outros.

Hoje em dia não falta opção para quem quer viver como motorista ou apenas ganhar uma grana extra. 

A dica para conseguir se destacar é você sempre ser educado, atencioso e oferecer gratuitamente algum produto simbólico (água, balinha, álcool em gel…).

2) Faça entregas

Além disso, você também pode utilizar o seu carro ou sua moto para fazer entregas. Hoje em dia as pessoas estão fazendo muito mais pedidos do que antes. 

E se você pode fazer esse tipo de serviço, aproveite os aplicativos para fazer as entregas. 

Lembra que o objetivo é fazer uma renda extra, então você só precisa separar algumas horas do seu dia para se dedicar as entregas.

3) Faça pesquisas pagas online

Isso é real e funciona.

É claro que você não vai ficar milionário fazendo pesquisas pagas online, mas você pode conseguir aumentar a sua renda da sala da sua casa. 

Sites como Survey Pronto, Myiyo, LifePoints, Toluna, Qualibest, Livra, Swag Bucks e Survey Junkie estão entre alguns dos sites que você pode usar para realizar pesquisas pagas online. 

Além de ganhar dinheiro, algumas dessas plataformas possibilita trocar os pontos conquistados nas pesquisas por presentes. Isso é ótimo também, pois te ajudar a economizar.

4) Venda itens usados ​​online

Provavelmente você tem em sua casa, itens que estão em perfeitas condições e você não usa mais. Ou, pelo menos, você tem aquele produto que comprou pensando que ia usar mais nunca tirou da caixa. 

Para isso você tem duas opções: doar ou vender. 

E você pode fazer os dois! Por exemplo, eu sempre faço um limpa no meu guarda-roupa e separo em três pilhas: roupas que uso, roupas para doar e roupas para vender. 

A diferença entre as roupas para a doação e as roupas para vender é só questão de utilidade. Por exemplo, os vestidos de festas geralmente eu vendo, porque as famílias carentes aqui da minha região precisam muito mais de uma boa blusa e calças do que de um vestido elegante. Entendeu?

Você pode fazer isso também com livros, artigos de cozinha, bijuterias e joias… Praticamente, qualquer coisa dá para você vender na internet. 

Adiciona nas suas redes sociais ou então cadastre o produto em sites como Amazon, eBay, Enjoei, Mercado Livre, Olx, Ficou Pequeno (brechó infantil), Remobile (para móveis), Estante Virtual (para livros), entre outros.

5) Alugue sua casa ou um espaço por temporada

Alugue sua casa ou um espaço dela por temporada

Vai passar muitos dias fora de casa ou tem um cômodo que não utiliza para nada?

Alugar a sua casa ou um espaço dela pode ser uma ótima maneira de aumentar a sua renda. 

Você pode fazer isso no Airbnb, Booking, Temporada Livre, Couchsurfing, 9flats, Vrbo, Homestay e Tripadvisor.      

Geralmente, nesses sites você determina a disponibilidade, preços, regras da casa e como deseja interagir com os hóspedes.

O quanto que você vai ganhar depende do tamanho e das condições da sua casa e da sua localização. 

Isso quer dizer que se você estiver bem localizado a sua renda será muito maior. Esse tipo de aluguel pode gerar uma renda de extra de R$ 36 até R$ 15 mil por dia.

6) Alugue seu carro

Lembra que te falei para você usar os aplicativos para viagens curtas de carro? Mas se por acaso você não gostar de dirigir, tenho a solução para você. 

Uma ótima maneira de aumentar a renda é alugando o seu carro. Assim como na opção anterior, você pode utilizar aplicativos e sites para te ajudar.

Algumas das opções são: Moobie, RentCars e Movida

5) Faça marketing de afiliado

Marketing de afiliado, de maneira simples, é você divulgar o produto de outra pessoa no seu espaço na internet e ganhar uma comissão em cima disso.

Ou seja, é uma maneira passiva de aumentar a sua renda. 

Você pode fazer isso através do Hotmart, Monetizze e Eduzz

6) Seja um Freelancer

Uma excelente opção para quem tem um trabalho fixo para aumentar a sua renda é pegar outros trabalhos como freelancer. 

Ou seja, ceder uma parte do seu tempo e conhecimento para fazer serviço temporário para outras empresas. 

É claro que sempre mantendo o sigilo das informações que você possui no seu emprego fixo. 

Além disso, há pessoas que já vivem somente de freelancer. Isso significa que elas não possuem nenhum vínculo empregatício, mas mantém serviços com diversos clientes. 

Uma das formas de alcançar novos clientes é através de sites e plataformas como 99freelas, Workana, Fiverr, GetNinjas, entre outros. 

7) Receba reembolso quando fizer compras

Já pensou receber de volta uma quantia do dinheiro que você gastou ao comprar alguma coisa?

Isso é totalmente possível. Basta você se cadastrar em sites e aplicativos que oferecem essa opção. Como, por exemplo, Livelo, Cashback World, Ame Digital e Méliuz

Lembrando que nessa opção você não vai aumentar a sua renda, mas sim economizar.  O que, tecnicamente, você estará ganhando dinheiro.

8) Faça investimentos

Outra forma de aumentar a sua renda é separar uma parte do que você recebe para aplicar na Bolsa de Valores, Fundo Imobiliários ou Tesouro Direto.

Algumas dessas aplicações requer maior conhecimento do que outras. Por isso, a minha sugestão é você começar pelo Tesouro Direto, que é uma maneira mais simples de investir e você pode começar com pouco. 

Dá uma olhada nesse vídeo:

9) Revenda produtos importados

Outra opção é você revender produtos importados nas suas redes sociais ou nas plataformas que te mostrei anteriormente.

Uma boa opção para esse tipo de negócio é você encontrar uma empresa que receba os seus produtos no país de origem e depois envie para você. 

Caso contrário, não será vantajoso você pedir para entregar direto na casa. Vai ficar caro do mesmo jeito e o próprio cliente pode fazer isso.

Um exemplo é o site QueriaTanto.com. Ele recebe suas compras realizadas nos Estados Unidos, unifica tudo em uma única caixa e envia para o seu endereço no Brasil.

10) Passeie com cachorros 

Se você ama os animais e tem um tempo livre para fazer uma renda extra, que tal levar os cachorros dos vizinhos para passear?

Antigamente, isso era realizado apenas de boca em boca ou com uma placa no portão/porta de casa. 

Agora, com a internet, você pode utilizar plataformas especializadas no assunto. Assim como DogHero e Dog Walk.

DICA BÔNUS: Ganhe dinheiro pelas tarefas que você faria de qualquer maneira

DICA BÔNUS: Ganhe dinheiro pelas tarefas que você faria de qualquer maneira

Dei uma vasculhada na internet e separei para você outros aplicativos que vão te ajudar a aumentar a sua renda. Veja só:

Conclusão

No artigo deste hoje você viu 10 maneiras inteligentes de aumentar a sua renda. Você viu que é possível ganhar dinheiro na internet, alugando sua casa, alugando seu carro, com reembolso, com investimento…

Além disso, te indiquei vários sites e plataformas que vão te ajudar a fazer uma renda extra. 

Ainda não testei todos, então se você já conhece algum deles deixa aqui nos comentários a sua experiência.