O que é sinistro de seguro de vida e como ele funciona

O que é sinistro de seguro de vida e como ele funciona?

Se você está procurando informações sobre seguro de vida, uma dos primeiros termos que você deve entender é o que é o sinistro de seguro de vida. 

Isso porque se você não sabe exatamente o que cada termo significa, a contratação desse benefício pode se tornar confusa. 

A falta de conhecimento de alguns termos específicos, faz com que o procedimento para obtenção do seguro seja visto como algo complicado,  o que, na verdade, não é. 

Sendo assim, de maneira simples vou te explicar aqui tudo o que você precisa saber sobre sinistro de seguro de vida. 

Vamos lá?

O que é sinistro?

O que é sinistro?

Sinistro de seguro de vida é o incidente que tem na cobertura do segurado contrato. 

Ou seja, se uma pessoa morrer devido a um dos eventos detalhado no contrato, esse será caracterizado como sinistro. 

Por exemplo, se o segurado sofrer lesões após bater o carro de forma involuntária, e esse evento fizer parte da cobertura do plano, os benefícios contratados podem ser requeridos. 

Quais são os possíveis sinistros?

Geralmente, os planos de seguro de vida abrangem as seguintes situações:

  • Morte por causa natural;
  • Invalidez parcial por acidente;
  • Doença grave;
  • Invalidez total por acidente;
  • Diárias por incapacidade temporária;
  • Invalidez permanente por acidente majorada;
  • Despesas médico-hospitalares e odontológicas;
  • Assistência funeral.

Dessa forma, em caso de morte, acidente e invalidez é possível o pagamento da indenização. 

Além disso, alguns desses sinistros podem ser utilizadas em vida também

Como acionar o sinistro do seguro de vida?

Como acionar o sinistro do seguro de vida?

Geralmente, o procedimento para acionar a seguradora é muito simples. Basta fazer um contato inicial com a seguradora, formalizar a comunicação em um formulário e apresentar as cópias necessárias para abertura do processo. 

O indicado é entrar em contato com a empresa contratada assim que possível para informar o ocorrido, assim ela pode fornecer as informações apropriadas sobre o que você deve fazer em seguida. 

Esse primeiro contato pode ser realizada por telefone (geralmente, atendimento por 24 horas) ou chat no site da empresa. 

Quais documentos entregar?

Como te expliquei anteriormente, com o formulário, deve ser entregue também cópia dos seguintes documentos:

  • Certidão de óbito, se for o caso (cópia autenticada);
  • Boletim de ocorrência, se aplicável (cópia simples);
  • RG do segurado (cópia simples);
  • CPF do segurado (cópia simples);
  • Certidão de casamento, caso o segurado seja casado (cópia simples).

É importante ressaltar que se o seguro de vida for coletivo, a seguradora pode pedir outros documentos necessários.

Além disso, esses documentos também podem variar de uma seguradora para outro, segundo o tipo de sinistro. Vou te mostrar alguns exemplos!

Caso de morte

Normalmente, em caso de morte, além da certidão de óbito, também é solicitado: apólice do seguro individual ou certificado do seguro coletivo; aviso de sinistro fornecido pela seguradora, com carimbo, CRM e assinatura do médico; certidão de nascimento do segurado ou certidão de casamento e, se for o caso, averbação do divórcio ou separação judicial, com data atualizada; carteira de identidade, CPF e comprovante de residência do segurado.

Já para apólices coletivas ainda podem ser solicitado a Guia de Recolhimento do FGTS, o último contracheque e Informações à Previdência GFIP do mês anterior à data do sinistro.

Morte acidental

No caso de morte acidental, além da certidão de óbito, pode ser requerido também:

  • Apólice do seguro individual ou certificado do seguro coletivo;
  • Aviso de sinistro fornecido pela seguradora, com carimbo, CRM e assinatura do médico;
  • Certidão de nascimento do segurado ou certidão de casamento;
  •  E, se for o caso, averbação do divórcio ou separação judicial, com data atualizada;
  • Carteira de identidade, CPF e comprovante de residência do segurado;
  • Boletim de ocorrência policial;
  • Laudo de exame cadavérico do Instituto Médico Legal (IML);
  • Laudo de exame toxicológico e de dosagem alcoólica;
  • Em caso de acidente de carro, a carteira de motorista, desde que o segurado tenha sido o condutor do veículo;

Já para o seguro coletivo é requerido também a relação dos três últimos meses do FGTS, a cópia do último contracheque e a Comunicação de Acidente de Trabalho.

Invalidez e por doença

Em caso de invalidez funcional permanente e total por doença, os documentos, geralmente, exigidos são:

  • Apólice do seguro individual ou certificado individual do seguro coletivo;
  • Aviso de sinistro fornecido em formulário próprio da seguradora preenchido e sem rasuras;
  • Relatório detalhado do médico que assistiu ao segurado;
  • Cópia dos Laudos e Exames referentes à patologia;
  • Documentos pessoais do segurado;

No caso do seguro coletivo também é exigido a carteira de trabalho e cópia do contracheque dos três últimos meses ou relação de recolhimento do FGTS do mês da ocorrência do sinistro.

No entanto, se o sinistro for por  invalidez permanente total ou parcial por acidente, geralmente, os documentos necessários são:

  •  Aviso de sinistro fornecido em formulário próprio da seguradora preenchido e sem rasuras.
  • Relatório Médico de Acidentes Pessoais preenchido pelo médico que assistiu ao segurado;
  • Exames médicos relacionados à lesão/sequela;
  • Cópia da Carteira Nacional de Habilitação em caso de acidente com veículo dirigido pelo segurado;
  • Boletim de Ocorrência policial e/ou Comunicação de Acidente do Trabalho (CAT) e Laudo do IML, se foi realizado;
  • Cópia do Laudo do exame toxicológico e de teor alcoólico, se for realizado;
  • Documentos pessoais do segurado;

Quando for seguro coletivo também é necessário a carteira de trabalho e cópia do contracheque dos três últimos meses ou relação de recolhimento do FGTS do mês da ocorrência do sinistro.

Além disso, há outros documentos diferentes para Diária por Incapacidade Temporária (acidente e doença), morte do cônjuge incluído na apólice como segurado dependente, morte de filho(a) incluído(a) na apólice como segurado dependente, despesas médicas, hospitalares e odontológicas, diária de incapacidade temporária, auxílio-funeral e doenças graves.

Quanto tempo até a seguradora pagar a indenização?

Quanto tempo até a seguradora pagar a indenização -o que é sinistro

De acordo com a Resolução do Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP), a seguradora tem um prazo máximo de 30 dias, contados da data de entrega da documentação, para pagar a indenização. 

Caso a seguradora fundamente a dúvida sobre o requerimento, ela pode solicitar documentos adicionais e, assim, suspender a contagem do prazo. 

O pagamento em dinheiro não é a única forma de indenização, se for acordado previamente com o segurado, a empresa pode pagar a indenização com bens e serviços. 

Normalmente, isso é acordado para cobrir custos adicionais como seguro funeral e cestas básicas.

Caso a seguradora não pague a indenização ela deverá pagar multa e juros, quando essas penalidades estiverem no contrato. 

Por outro lado, as únicas possibilidades da seguradora não pagar a indenização é se o sinistro não estiver dentro da cobertura prevista no contrato ou se for comprovado má-fé do segurado.

Conclusão

Nesse artigo te expliquei exatamente o que é o sinistro de seguro de vida, como ele funciona e como você pode acionar a seguradora em caso de morte, acidente ou doença.

Além disso, é importante lembrar que a responsabilidade da seguradora é garantir os itens essenciais previstos na apólice de seguro sem dificuldades burocráticas. 

Sendo assim, se você tiver qualquer outra dúvida sobre esse assunto deixe um comentário que a nossa equipe vai fazer o possível para te responder.

 

 

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *