plano-de-saude

Contratar um Plano de Saúde: o que você precisa saber

plano-de-saude

Com o ritmo do dia a dia, nem sempre temos tempo de pensar em tudo que devemos fazer para cuidar do bem-estar. Portanto, é normal nos esquecermos de algumas coisas. Mas se tem algo que sempre devemos lembrar, é de cuidar da saúde.

Aqui você pode conferir uma maneira de garantir segurança e conforto para todos. Que tal pensar em contratar um Plano de Saúde?

 

O que é o plano de saúde

O plano de saúde é uma alternativa para não depender do sistema público de saúde, que vamos concordar, muitas vezes trazem mais problemas do que soluções.

Sim, mas o que define um plano de saúde? 

De uma maneira simples, é um serviço oferecido por empresas privadas, chamadas operadoras, que asseguram uma proteção de pessoas que possam vir a precisar de atendimentos médicos, consultas e até mesmo internações hospitalares sem precisar pagar por cada serviço individualmente.

Nele, você paga uma mensalidade, e desfruta de benefícios definidos por cada tipo de plano.

Portanto, você deve pensar no plano de saúde como uma forma de garantir seu bem-estar e de pessoas importantes ao seu redor.

Se você está cogitando em contratar um plano de saúde, é necessário estar atento a algumas informações importantes. Confira-as abaixo.

 

Dicas para contratar um plano de saúde

Verifique a credibilidade da operadora

Você deve investigar se a operadora escolhida é certificada pela Agência Nacional de Saúde (ANS).

Por lá é possível analisar cada uma. Como por exemplo, seu nível de qualidade e por elas, ver quais abrangem os melhores planos de saúde.

Definir o perfil do(s) contratante(s)

O contratante é quem vai aderir aos serviços do plano. Ou seja, é necessário analisar fatores de idade e histórico de saúde e quantas pessoas irão entrar no plano, por exemplo.

Qual é o tipo de abrangência

Aqui você confere as delimitações de território. Ou seja, uma abrangência geográfica dependendo se prefere um plano com cobertura regional ou nacional.

O plano regional é bom por questão de conveniência, podendo contar com hospitais próximos.

Já o plano nacional garante que você possa usufruir os serviços independente de onde estiver. Se você mora em Brasília e viajar para Recife, por exemplo, você pode ser atendido por lá.

Qual é o tipo de cobertura

A cobertura é definida por quais serviços você pretende utilizar. Você vai utilizar o plano frequentemente? Vai precisar apenas ter consultas? Quer apenas serviços de emergência? Ou também necessita de serviços de urgência?

Após responder essas perguntas, você deve pensar que a melhor opção é feita de acordo com suas necessidades.

Qual é o tipo de acomodação

A acomodação pode ser individual (apartamento) ou compartilhada (enfermaria), essa com um limite de até 2 pessoas.

Depende de você, se quiser dividir seu espaço, ou se prefere algo mais privativo.

 

Converse com um corretor

Um corretor é alguém especializado no assunto, que pode lhe ajudar com uma simulação, vendo seus dados, para assim entrar em contato, pessoalmente ou por telefone e realizar uma cotação e dar informações mais detalhadas.

 

Como contratar um Plano de Saúde?

Para qualquer procedimento que envolva uma assinatura de contrato, é preciso coletar certas documentações.

Confira quais são necessárias para o plano empresarial aqui.

Você vai entender por que sair do padrão de plano de saúde por CPF e com certeza vai preferir o plano empresarial.

 

Você pode fazer uma cotação aqui mesmo em nosso site e logo logo ter uma orientação com vários detalhes com os melhores especialistas da área!

 

.

 

 

O que é seguro de vida 8 coisas que você precisa saber

O que é seguro de vida? 9 coisas que você precisa saber

Se tem uma coisa que é certa na vida, é que todos iremos morrer. De fato, pode parecer um pouco mórbido, mas é a verdade. 

Aliás, muitas pessoas ainda associam contratar um seguro de vida apenas para casos fatais, essa não sendo a única modalidade para que servem. Ele também é uma forma de estar garantido tanto na morte como em vida.

Em resumo, o seguro de vida é um contrato feito entre quem contrata o serviço e uma seguradora, através de um pagamento mensal chamado de prêmio.

De tal forma que, serve para garantir uma segurança financeira para você e seus dependentes, em momentos inesperados, como casos de acidentes, invalidez e morte.

Ele ainda pode ser combinado com auxílios complementares como cobertura de despesas educacionais, quitação de dívidas, seguro de viagem e seguro-habitacional, que vão além da indenização à família.

Por fim, é regulamentado pela SUSEP (Superintendência de Seguros Privados), órgão responsável por controlar e fiscalizar mercados de seguro, previdência privada aberta, capitalização e resseguro.

O que é seguro de vida?

Seguro de vida é um contrato de proteção entre você e uma seguradora. Ele serve para ajudar e proteger financeiramente as pessoas que dependem de você, caso morra ou fique inválido.

Alguns seguros de vida, cobre também internação hospitalar, doenças graves e despesas com o funeral.

Funciona assim: quando acontece o óbito, a companhia de seguros de vida que você contratou paga ao seu beneficiário uma quantia em dinheiro. Esse valor é determinado de acordo com a cobertura que você escolheu.

Ou seja, de maneira simples, seguro de vida é você deixar um dinheiro pronto para quem você ama.

Preciso de um seguro de vida?

Talvez você não saiba ainda, mas você precisa de um seguro de vida sim! Vou te mostrar, responda as perguntas a abaixo com SIM ou NÃO:

  • Você é casado (a)?
  • Tem filhos?
  • Recebe o principal ganha-pão da sua família?
  • Você é solteiro (a) e tem filhos?
  • Tem uma casa?
  • Possui um negócio próprio?
  • Você tem alguma dívida alta?
  • Os seus pais dependem financeiramente de você?
  • Você já é aposentado?

Se você respondeu SIM, para alguma dessas perguntas é porque você precisa de um seguro de vida.

Ele vai te dar garantia e segurança caso aconteça alguma coisa com você.

Qual o limite de idade para contratar um seguro de vida?

Qual o limite de idade para contratar um seguro de vida

Geralmente, as seguradoras impõem restrições para pessoas com mais de 65 ou 60 anos.

Por outro lado, já existem aquelas focadas na terceira idade, ou seja, com aceitação de segurados com até 80 anos.

Além disso, o seguro de vida só pode ser comercializado a partir dos 14 anos. Para pessoas abaixo da idade, só é permitido o reembolso de despesas com funeral e gastos médico-hospitalares e odontológicos decorrentes de acidentes.

O que é sinistro?

Quando o seguro de vida é contratado, a apólice emitida detalha as coberturas que fazem parte do plano.

O sinistro é a concretização de um risco coberto pela seguradora.  Ou seja, um seguro de vida tem como possíveis sinistros: a morte, acidente com invalidez, ou doença.

Como resultado, o acontecimento desses casos leva a situações em que a apólice garante o pagamento da indenização.

Como funciona

Primeiramente, é preciso entrar em contato com a segurado. Posteriormente, é preciso formalizar a comunicação através de um formulário e apresentar algumas cópias de documentos do segurado.

  • Cópia autenticada da certidão de óbito (se for o caso);
  • Boletim de ocorrência (se for aplicável);
  • RG;
  • CPF;
  • Certidão de casamento (se for casado).

A princípio, pode haver diferenças no seguro de vida coletivo, por isso, é necessário saber das especificidades de cada empresa.

O que é apólice?

É um contrato entre duas partes que define a responsabilidade de cada um, sendo o que garante o benefício do segurado e a quantia previamente estabelecida a ser recebida pela seguradora pelo serviço prestado.

Assim sendo, há as modalidades individual bem como coletiva, ou empresarial. Mas, a primeira é a mais indicada, pois é a mais específica de acordo com a necessidade e perfil da pessoa.

Por fim, a segunda considera o grupo de pessoas na totalidade.

Principais elementos

Na apólice são consideradas dois principais elementos, sendo eles:

Risco

Aliado ao interesse pelo segurado, aqui é o fator que diz à seguradora todo e qualquer evento negativo que pode ocorrer, sendo morte ou invalidez. 

Prêmio

É a mensalidade a ser paga calculada com base que o risco coberto pelo contato se realize.  São considerados para o cálculo do preço de seguro de vida: idade, sexo, estado civil, profissão, condição de saúde e hábitos o indivíduo.

O valor da apólice deve ser o equivalente à renda anual bruta vezes o número de anos em que o segurado quer que a sua família esteja protegida.

A emissão da apólice pode ser fita em até 15 dias após a contratação, porém, nesse tempo o contratante ainda não está coberto pelo seguro.

Nesse mesmo intervalo, a seguradora irá avaliar o resultado da análise de risco, podendo recusar o pedido do cliente, caso seja necessário.

O que são as exclusões?

O que são as exclusões

São as cláusulas em que a seguradora não tem responsabilidade do pagamento do prêmio contratado. As mais comuns são:

  • Suicídio (dentro do prazo de carência de dois anos);
  • Doenças preexistentes, cujos termos não tenham sido informados na declaração de saúde;
  • Utilização de material nuclear, acidentes nucleares e semelhantes;
  • Envolvimento em operações de guerra, rebelião e tumultos;
  • Prática de atos ilícitos dolosos que tenham resultado em morte, como o consumo de drogas.

Quais são as coberturas?

Também chamadas de garantias, são os casos em que o segurado e seus beneficiários estarão protegidos. Veja-os abaixo:

  • Morte (acidental ou por qualquer coisa);
  • Pensão por morte;
  • Auxílio ou assistência-funeral (SAF);
  • Renda por invalidez;
  • Invalidez permanente total ou parcial por acidente (IPA);
  • Despesas médicas, hospitalares e odontológicas (DMHO);
  • Diárias por incapacidade temporária (DIT).

Não abrange doenças mentais, procedimentos estéticos ou procedimentos para doenças, ou acidentes preexistentes não mencionados na declaração de saúde. 

  • Invalidez permanente por acidente majorada (IPAM);
  • Doenças graves (DG).

O seguro tem cobertura para 28 doenças e procedimentos:

1 – Câncer*

2 – Alzheimer*

3 – AVC*

4 – Infarto agudo do miocárdio*

5 – Insuficiência renal crônica*

6 – Parkinson*

7 – Paralisia de membros

8 – Perda de fala

9 – Perda de visão

10 – Perda de audição

11 – Coma por traumatismo craniano

12 – Danos cerebrais anatômicos

13 – Doenças hepáticas graves

14 – Pancreatite crônica

15 – Esclerose múltipla

16 – Doença do neurônio motor

17 – Osteomielite

18 – Queimaduras de 3º grau

19 – Anemia aplástica

20 – Doenças pulmonares obstrutivas crônica

21 – Transplantes: coração, pulmão, rins, fígado, medula, pâncreas, intestino delgado e tecido composto.

*Doenças com cobertura até 80 anos

Qual a diferença de Seguro de vida e Seguro de acidentes pessoais?

Visto que, são termos parecidos, podem ser confundidos. Contanto, entre eles, há diferenças.

 

CondiçãoSeguro de vidaSeguro de acidentes
FalecimentoOs beneficiários sempre irão receber a apólice, independente do motivo de óbito.Os beneficiários só irão receber a apólice, em caso de mortes acidentais. 

Causas naturais não dão direito ao recebimento de indenização.

ValoresA apólice aumenta de acordo proporcionalmente à idade do beneficiário. 

Limite de idade do contratante: 64 anos

Mais barato devido a menor cobertura.

Limite de idade do contratante: 70 anos

Indenização 

(Em casos de acidentes e invalidez em que não houver morte)

O valor da apólice é liberado para que você tenha oportunidade de bancar tratamentos. Assim, você tem a liberdade de usar a quantia da maneira que lhe convir. A seguradora cobrirá o tratamento médico, incluindo as diárias no hospital, entretanto, você não tem a liberdade de usar o valor para outros fins.

O que é Seguro de vida resgatável?

O que é Seguro de vida resgatável

É aquele em que o titular pode recuperar parte de seu dinheiro. Visto que, quanto maior for o tempo que a pessoa contratou o serviço, maior o valor percentual que será restituído.

Entretanto, para isso acontecer, há uma carência de 24 meses a ser cumprida. 

Portanto, um seguro resgatável é recomendável, por exemplo, para alguém jovem que não exatamente pensa em sua morte, mas que quer tomar cuidado ao acumular seu patrimônio.

Certamente, uma das principais particularidades do seguro de vida resgatável é a manutenção do prêmio, mesmo com o aumento da idade.

O investimento inicial é mais caro, mas lembrando que esse é um risco que a seguradora está assumindo, enquanto a outra parte representará as reservas que serão retiradas no futuro. 

Essas podendo ser parcial ou integralmente resgatadas após o período de carência, sem que haja um evento indenizável.

Ao mesmo tempo que, é uma forma importante para garantir compromissos financeiros, pensando a longo prazo. 

Uma vez que, já que ele não sofre reajustes em função da idade e, assim como nos outros seguros de vida, é isento de qualquer imposto.

Conclusão

O seguro de vida é algo a ser considerado por trazer benefícios em vida e em morte.  

Não apenas para você como também para você e seus dependentes.

Dessa maneira, é uma forma de investir seu dinheiro de forma inteligente que trará um retorno positivo.

Se quer saber mais motivos para aderir a um seguro de vida? Confira nosso conteúdo aqui.

 

 Co-autoria: Karol Barbosa