Qual a relação entre estresse e saúde

Qual a relação entre estresse e saúde?

Eu não sei se você sabe qual é a relação entre estresse e saúde, mas é de extrema importância que você entenda que uma afeta diretamente a outra. 

Vai me dizer que você nunca sentiu uma dor de cabeça ou uma má digestão depois de passar um dia estressante?

Por exemplo, uma vez tive que resolver uma situação muito complicada e no final da conversa, quando entrei no carro, meu estômago doeu tanto que cheguei a chorar de dor. 

Eu tenho gastrite nervosa e sei que situações assim sempre vão atacar o meu corpo. Mas eu tenho 99,9% de certeza que algo parecido já aconteceu com você. 

E, por isso, no artigo de hoje você vai entender como o seu corpo responde a situações de estresse, quais são os tipos de estresse e o que você pode fazer para gerenciar essas situações. 

Vamos lá?

O que é estresse e quais são os tipos de estresse?

Estresse é qualquer tipo de mudança em que o corpo responde com alteração física, emocional ou psicológica.

Geralmente, encontra-se 4 tipos de estresse:

1) Eustress

Eustress é conhecido como um tipo de estresse divertido e emocionante, pois te mantém energizado. É aquela sensação associada a surtos de adrenalina quando, por exemplo, você está correndo para cumprir um prazo ou esquiando.

2) Estresse agudo

O estresse agudo é aquele que a gente passa no dia a dia. Normalmente ele é de curto prazo e pode ser positivo ou mais angustiante, depende da circunstância que você está passando no momento.

3) Estresse agudo episódico

Estresse agudo episódico é similar ao anterior só que mais intenso. Ou seja, a pessoa vive correndo e o estresse se torna um estilo de vida.

4) Estresse crônico

Estresse crônico é quando o estresse é interminável e inevitável. Por exemplo, um trabalho extremamente exigente, casamento ruim, experiências traumáticas e traumas na infância.

Como o seu corpo responde ao estresse?

Para entender qual a relação entre estresse e saúde, você precisa saber que o estresse pode desencadear no nosso corpo uma reação de ameaça ou perigo percebido

Na verdade, essa é a função original do estresse. É ele que nos permite lutar fisicamente ou fugir quando somos confrontados com o perigo.

No entanto, atualmente ele também é ativado em situações do cotidiano como no trânsito ou durante um dia estressante no trabalho.

O normal é o corpo ficar relaxado depois que a ameaça percebida desaparece, mas nos casos de estresse crônico, as respostas de relaxamento não ocorrem com a frequência suficiente.

Por isso que estar em um estado quase constante de luta ou fuga pode causar danos ao corpo. Como, por exemplo:

  • Problemas de memória, esquecimentos das atividades que precisavam ser feitas;
  • Dificuldade de manter-se concentrado;
  • Agitação, inquietação e pensamentos acelerados;
  • Preocupação excessiva e constante;
  • Pessimismo, visão distorcida da realidade;
  • Dor de cabeça constante;
  •  Enxaqueca; 
  • Dores musculares e tensão nos ombros;
  • Alterações no sistema gastrointestinal, diarreia, constipação, mal-estar no abdômen, azia, queimação no estômago;
  • Náuseas e/ou tonturas;
  • Dores no peito, batimento cardíaco acelerado;
  • Queda na imunidade;
  • Estar sempre cansado;
  • Perda de libido;
  • Mau humor mais frequente;
  • Sentimento de solidão;
  • Isolamento social;
  • Infelicidade, choro fácil;

Além disso, pode desencadear também gastrite, esgotamento, distúrbios de ansiedade, depressão, doença cardíaca, obesidade, diabetes e depressão.

Um estudo, por exemplo, mostrou que o estresse dos pais afeta as taxas de asma de crianças pequenas que também foram expostas à poluição do ar ou aquelas que as mães fumaram durante a gravidez.

Outro estudo mostrou que o estresse pode piorar a doença de Alzheimer, causando lesões mais cerebrais no cérebro. 

Como gerenciar o estresse?

Como gerenciar o estresse

Não passar por situações que ocasiona o estresse é quase inevitável, mas para manter a sua saúde você precisa reduzir o impacto que ele pode causar na sua vida.

Por isso vou te mostrar aqui atitudes que podem te ajudar a gerenciar o estresse. Veja só:

Reconheça os sinais

O primeiro passo para diminuir o estresse na sua vida é você descobrir em quais situações você fica alterado.

Depois você pode testar as melhores formas para conseguir diminuir o estresse e melhorar a sua saúde.

Faça atividade física

Já é comprovado que o exercício físico reduz o estresse e melhora muitos sintomas associados à doença mental.

Por isso, comece com 20 minutos de atividade física. Pode ser uma caminhada, ioga, exercício em casa… O importante é começar.

Estabeleça uma rotina de autocuidado

É essencial você determinar uma rotina para cuidar do seu corpo, da sua mente e o do espírito. 

Além da atividade física, procure se alimentar bem, ler um bom livro, meditar… Ou qualquer outra atividade que te ajude a relaxar. 

Preze por uma boa noite de sono

Segundo a Associação Americana de Psicologia, o estresse mantém mais de 40% dos adultos acordados. 

Sendo assim, uma das maneiras de diminuir o estresse é ter uma boa noite de sono. E para isso é importante cortar a cafeína, reduzir distrações como a televisão no quarto e computadores na cama, ir para a cama todos os dias no mesmo horário…

Além disso…

Você pode também fazer ações simples como escutar música, tirar férias, ficar um tempo à toa, ter um tempo para o lazer e ter um animal de estimação.

Conclusão

No artigo de hoje te mostrei qual a relação entre estresse e saúde. Você viu o conceito, quais são os tipos de estresse e como o seu corpo responde a essa situação. 

Além disso, te dei dicas simples que podem te ajudar a gerenciar o estresse no seu dia a dia. 

Agora quero saber de você… Já passou por alguma situação de estresse? Qual foram os sintomas e o que você está fazendo para não passar mais por isso?

Me conta nos comentários. 

O que é Atenção Primária à Saúde?

O que é Atenção Primária à Saúde?

Saber o que é Atenção Primária à Saúde (APS) é essencial tanto para profissionais da área da saúde quanto para a população no geral. 

Isso porque é através dela que o cidadão possui o atendimento inicial no sistema de saúde brasileiro. 

Vou te explicar.

A Atenção Primária à Saúde ou Atenção Básica é a porta de entrada para o sistema saúde. É nela que ocorre as orientações para prevenir doenças, visa solucionar os casos menos graves e direciona os mais graves para os níveis de atendimento superiores. 

É como se fosse um filtro que organiza os serviços nas redes de saúde: realizando os atendimentos simples e direcionando os mais graves para cada setor responsável. 

Por exemplo, o programa governamental Estratégia de Saúde da Família (ESF) disponibiliza exames, consultas, vacinas, radiografias e outros procedimentos por meio das Unidades Básicas de Saúde.

Ou seja, somente os casos mais graves são redirecionados para o atendimento no hospital. 

Segundo a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), a atenção primária pode atender de 80 a 90% das necessidades de saúde de um indivíduo ao longo de sua vida. Isso inclui os serviços que vão desde a promoção da saúde e prevenção até o controle de doenças crônicas e cuidados paliativos.

Qual o objetivo da Atenção Primária em Saúde?

O objetivo da APS, como te disse anteriormente, é organizar o fluxo de atendimento e serviços das redes de saúde brasileira. 

Sendo assim, as suas principais ações estão relacionadas a orientar sobre a prevenção de doenças, promover a saúde, solucionar os possíveis agravos e direcionais os casos mais graves. 

4 atributos da Atenção Primária à Saúde

De a acordo com a professora e  médica norte-americana Barbara Starfield, a atenção primária possui 4 atributos básicos:

1. Atenção ao primeiro contato

Como ele é a porta de entrada para a saúde brasileira, o que se espera da APS é que seja um serviço acessível a toda população. 

Por isso, é essencial que o primeiro atendimento seja com uma boa localização geográfica e em horários de funcionamentos compatíveis com a realidade daquela comunidade local. 

2. Continuidade do atendimento

O atendimento na APS não é único. Deve haver uma continuidade do serviço de forma regular e frequente ao longo do tempo. 

Isso quer dizer que o cidadão deve manter um vínculo com o serviço para que o resultado possa ser mais eficiente, caso ocorra uma nova necessidade de atendimento. 

Para que isso aconteça, a unidade de APS deve identificar todos os indivíduos da população que devem receber seu atendimento no local.

É essencial manter o cadastro dos usuários da unidade de saúde sempre ativos e educar a população para que a utilizem periodicamente para consultas. Somente quando for um exame específico ou uma consulta com um especialista que o caso deve ser redirecionado.

3. Integralidade do serviço

Esse atributo significa que as unidades de atenção primária devem ser capazes de oferecer todos os serviços necessários para lidar com sintomas, sinais e diagnósticos de doenças. 

Isso inclui o encaminhamento para consultas com médicos especialistas e serviços de suporte como, por exemplo, a internação domiciliar.

Ou seja, mesmo que o paciente seja encaminhado a outras unidades, o serviço de atenção primária continua com parte da responsabilidade pelo seu atendimento.

Além disso, a integralidade do serviço inclui também a possibilidade de visitas domiciliares, reuniões com a comunidade e ações intersetoriais.

4. Coordenação do cuidado

Esse último atributo está relacionado ao anterior. Pois quando parte do atendimento é remanejado para outros níveis de atenção cabe a equipe de atenção primária organizar, coordenar e integrar os cuidados com o paciente. 

Ou seja, deve haver uma continuidade no contato entre os profissionais de níveis diferentes, mesmo que seja por meio de prontuários.

Equipe mínima para trabalhar com APS

Equipe mínima para trabalhar com APS

De acordo com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), a equipe de profissionais para atuar na atenção primária deve ter caráter multiprofissional e interdisciplinar.

A composição mínima para trabalhar com APS envolve:

  • Um médico de família e comunidade ou especialista em clínica médica com capacitação e experiência em APS;
  •  Um enfermeiro especialista em saúde da família ou generalista; e 
  • Outro profissional de saúde de nível superior.

Além disso, de acordo com os procedimentos oferecidos a unidade de atenção primária deve contar na sua equipe profissionais de acordo com as suas especificidades. Como, por exemplo, fisioterapeutas, psicólogos, nutricionistas, fonoaudiólogos, assistentes sociais, terapeutas ocupacionais, cirurgião dentista, etc.

Atenção Primária à Saúde e o Plano de Saúde

Segundo um estudo realizado pelo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS), o plano de saúde atende em 86,6% os atributos da Atenção Primária à Saúde.

Isso significa que os atributos necessários para a prestação do serviço são amplamente identificados nas operadoras de plano de saúde

Esse é um grande avanço para o setor e representa um progresso na quebra de paradigma do atual sistema privado de saúde. Ou seja, essa pesquisa é uma das provas de que as operadoras de plano de saúde estão avançando na qualidade dos atendimentos iniciais prestados aos pacientes.

Conclusão

No artigo de hoje te expliquei o que é Atenção Primária à Saúde. Te mostrei quais os objetivos dela e quais são os 4 atributos.

Além disso, te expliquei também qual é a equipe mínima para um atendimento de qualidade na APS e como está ela está acontecendo nos planos de saúde. 

Se você tiver qualquer outra dúvida sobre esse assunto, deixe um comentário. A nossa equipe fará o possível para te responder!

 

O que é saúde bucal

O que é saúde bucal?

Saber o que é saúde bucal é essencial para se manter saudável. Isso porque, segundo a Organização Mundial de Saúde, a saúde bucal é um indicador-chave da saúde geral, bem-estar e qualidade de vida. 

O que quero te dizer é que muitas vezes negligenciamos a saúde da nossa boca porque não sabemos (ou esquecemos) que ela abrange uma série de doenças que variam de cárie dentária até câncer de boca. 

Cerca de 3,5 bilhões de pessoas em todo mundo sofre de alguma doença bucal, elas podem surgir em qualquer pessoa e em qualquer idade. Muitas vezes elas podem afetar a produtividade da pessoa na escola, no ambiente de trabalho e causar problemas sociais e pessoais. 

Quem já sentiu uma dor de dente ou já teve mau hálito sabe que estou falando. Esses dois fatores devem ser analisados por um profissional qualificado antes mesmo de se tornar algo mais grave. 

Por isso, nesse artigo vou te mostrar quais são as doenças, quais os tratamentos e o que você pode fazer para cuidar da sua saúde bucal e da sua família

Quais são as doenças bucais?

O recomendado é ir ao dentista, pelo menos, duas vezes no ano. Assim você consegue detectar qualquer problema antes que apareça algum sintoma mais grave. 

Geralmente, os principais sintomas que levam uma pessoa a procurar um dentista são feridas ou áreas sensíveis da boca que não cicatrizam após uma semana, ou duas, sangramento ou gengivas inchadas após escovação, ou uso do fio dental, mau hálito crônico, sensibilidade repentina a temperatura ou bebidas quentes e frias, dor ou dentes soltos (rachados ou quebrados), inchaço da face e bochecha, entre outros.

Além disso, se com algum desses sintomas também houver febre alta e inchaço facial ou no pescoço, deve-se procurar um médico de emergência. 

Essas condições acontecem porque a nossa cavidade oral coleta várias bactérias, vírus e fungos. Claro que alguns deles pertencem ao nosso próprio organismo e em pequenas quantidades são inofensivos. 

Mas agora vou te mostrar quais são as principais doenças bucais ocasionadas por eles. 

Cáries dentárias

O consumo alto de açúcar cria condições para que as bactérias produtoras de ácido floresçam em maior quantidade. Daí esse ácido dissolve o esmalte dos dentes e causa cáries dentárias.

Gengivite e periodontite

Já as bactérias próximas à gengiva quando prosperam demais criam uma matriz pegajosa chamada placa. Ela se acumula, endurece e migra pelo comprimento do dente. Dessa forma, se ela não for removida regularmente por escovação e uso do fio dental, pode inflamar as gengivas e causar gengivite.

Os casos mais avançados, periodontite, acontece porque o aumento da inflamação fez com que as gengivas afastassem os dentes. Esse processo cria bolsos nos quais o pus pode se acumular. 

Os fatores que contribuem para a gengivite e a periodontite, geralmente, são fumar, maus hábitos de escovação, lanches frequentes de alimentos e bebidas açucarados, diabetes, história familiar ou genética, HIV ou AIDS, alterações hormonais nas mulheres, refluxo ácido ou azia, entre outros. 

Câncer bucal

O câncer bucal pode ocorrer nos lábios, outras partes da boca e orofaringe. Ele é mais comum em homens e em idosos, isso porque o uso de tabaco e álcool estão entre as principais causas de câncer de boca. 

Noma

Noma é uma doença grave que atinge a boca e o rosto. Ela afeta, principalmente, crianças entre 2 e 6 anos que sofrem de desnutrição ou que tenha um sistema imunológico debilitado.

Essa doença começa como uma lesão de tecido mole (uma ferida) nas gengivas, dentro da boca, evolui para uma gengivite necrosante aguda e depois progride rapidamente, destruindo os tecidos moles.

Sem tratamento, o noma é fatal em 90% dos casos. Já aqueles que sobrevivem sofrem de grave desfiguração facial, têm dificuldade em falar e comer.

Quando detectado no seu estágio inicial, o noma pode ser rapidamente interrompido, através de higiene básica, antibióticos e nutrição melhorada.

Fenda labial e palatina

As fissuras labiais afetam mais os recém-nascidos. Ela é ocasionada por uma predisposição genética, má nutrição materna, consumo de tabaco, álcool e obesidade durante a gravidez.

Por outro lado, se forem tratadas por cirurgia, é possível uma reabilitação completa.

Doenças não transmissíveis 

O uso de tabaco, consumo de álcool e uma dieta não saudável e rica em açúcares livres são as principais condições de risco para doenças não transmissíveis como doenças cardiovasculares, câncer, doenças respiratórias crônicas e diabetes.

Como cuidar da saúde bucal?

Como cuidar da saúde bucal?

A incidência de doenças bucais podem ser reduzidas com atitudes preventivas simples como, por exemplo: 

  • Manter uma dieta equilibrada, pobre em açúcares livres e rica em frutas e vegetais;
  • Promover a água como bebida principal durante o dia a dia;
  • Interromper o uso de todas as formas de tabaco;
  • Reduzir o consumo de álcool;
  • Incentivar o uso de equipamentos de proteção ao praticar esportes e viajar de bicicleta e motocicleta (para reduzir o risco de lesões faciais);
  • Acompanhamento constante ao dentista;
  • Escovar os dentes com creme dental, pelo menos, 3 vezes ao dia;
  • Utilizar o fio dental, pelo menos, uma vez por dia.

Quais os tratamentos para os problemas de saúde bucal?

Mesmo seguindo os cuidados que te falei no tópico anterior, você ainda vai precisar passar por um dentista, nem que seja apenas duas vezes ao ano para uma visita de rotina. 

Isso porque assim você vai conseguir, se necessário, iniciar os tratamentos antes mesmo do agravamento das doenças, além de manter a sua saúde bucal em dia. 

Aqui listei para você as principais formas de tratamentos para os problemas de saúde bucal. Veja só:

Limpezas

Mesmo com o uso do fio dental e a escovação constante, você vai precisar fazer uma limpeza profissional. 

Isso porque assim você pode se livrar de qualquer placa que não foi removida pelos processos rotineiros. 

Essa limpeza profunda também ajuda a remover o tártaro que não pode ser alcançada durante uma limpeza de rotina (de cima e abaixo da linha da gengiva).

Após essa limpeza, o dentista pode aplicar também um tratamento com flúor. Ele  ajuda a combater as cáries, a fortalecer o esmalte do dente e torná-lo mais resistente a bactérias e ácidos.

Antibióticos

Se você mostrar sinais de uma infecção na gengiva ou se tiver um abscesso dentário, um dos tratamentos é a prescrição de antibióticos que ajudam a se livrar da infecção. 

Esses antibióticos podem ser um enxaguante bucal, gel, comprimido oral ou cápsula. 

Coroas e selantes

Esses procedimentos são realizados para reparar uma cavidade, rachadura ou furo no dente. 

Uma coroa é usada se uma grande parte do seu dente precisar ser removida ou se quebrar devido a uma lesão. Já os selantes dentários são revestimentos finos e protetores que são colocados nos dentes posteriores, ou molares, para ajudar a prevenir cáries. 

Canal radicular

Se a cárie atingir todo o caminho do dente até o nervo, será necessário realizar um canal radicular. 

Durante esse procedimento, o nervo é removido e substituído por um preenchimento feito de um material biocompatível.

Conclusão

Nesse artigo te expliquei o que é saúde bucal. Provavelmente, você conseguiu entender por que é tão importante cuidar da saúde da boca.

Te mostrei quais são as principais doenças que podem te atingir, como você pode cuidar da sua saúde bucal e quais são os principais tratamentos realizados pelos dentistas.

Se você tiver qualquer dúvida sobre esse assunto deixe um comentário! Faremos o possível para te responder!

 

Saúde mental e trabalho: qual a relação entre eles?

Saúde mental e trabalho: qual a relação entre eles?

Há uma relação direta entre saúde mental e trabalho que você precisa entender. Mesmo que você seja empregador ou empregado. 

Por passar a maior parte do nosso tempo no ambiente de trabalho, devemos entender que esse lugar está ligado como nós se sentimos. 

Além disso, como estamos no trabalho também afeta as nossas relações com a família e amigos. 

Digo isso porque além da pesquisa que fiz para escrever esse artigo eu também já passei por situações no trabalho que afetaram a minha saúde mental e todas as outras áreas da minha vida. 

E se você não se sente à vontade no seu ambiente de trabalho, se sente inferior, desanimado ou não tem vontade nenhuma de estar naquele lugar você precisa ler esse artigo. 

Mas se você não sente nenhum dessas coisas que citei e conhece alguém assim, envia esse artigo para ela. 

Aqui vou te mostrar o que de fato é saúde mental, qual a ligação dela com o trabalho, quais os fatores de riscos e o que pode ser feito para criar um ambiente de trabalho mais saudável. 

Vamos lá?

O que é saúde mental?

Saúde mental nada mais é como você está pensando ou se sentindo ao lidar com os altos e baixos da vida. 

Isso quer dizer que quando estamos com uma boa saúde mental, temos um propósito, uma direção para seguir. A nossa energia para realizar tarefas nos deixa animados e conseguimos lidar perfeitamente com os desafios que aparecem ao longo do dia. 

Pode parecer complexo, mas não é. Veja só: quando você está com uma boa saúde física você consegue fazer caminhadas mais longas sem perder o fôlego, certo?

Com a saúde mental é basicamente a mesma coisa. Quando você está com ela em bom estado você aproveita ao máximo seu potencial, lida com o que a vida joga para você e desempenha um papel completo em seus relacionamentos.

O fato é que a sua saúde mental nem sempre permanece a mesma. É normal ela variar devido algumas circunstâncias, o problema é quando ela está sempre no nível mais baixo. 

Ainda comparando com a saúde física, quando sua saúde mental está ruim é como se você estivesse com obesidade ou qualquer outro problema de saúde.

Ou seja, se uma angústia é persistente, por exemplo, ela pode ocasionar uma depressão ou ansiedade. 

Por isso, precisamos cuidar da nossa saúde mental antes mesmo de adquirir uma doença ou um transtorno. E o ambiente de trabalho é um fator decisivo nessa jornada. 

O que são problemas de saúde mental?

Os problemas de saúde mental podem surgir em qualquer pessoa. Isso porque eles estão associados a fatores como pobreza, genética, trauma na infância, discriminação ou doenças físicas contínuas.

É normal sentir tristeza, estresse ou ficar assustado com alguma situação, esses sentimentos passam. Mas o problema é quando eles são frequentes e acabam causando problemas de saúde mental como, por exemplo, ansiedade, depressão, alcoolismo, esquizofrenia, entre outros.

Como reconheço um problema de saúde mental?

Provavelmente uma das perguntas que estão surgindo na sua cabeça agora é como você reconhece um problema mental. 

Como eles estão ligados a fatores comuns do nosso dia a dia, muitas vezes podemos confundir quando é apenas alguns dias ruins e quando devemos procurar ajuda. 

Essa confusão é totalmente normal, pois a nossa sociedade ainda não está educada para diferenciar essas duas situações. 

Para reconhecer quando há um problema de saúde mental, sempre que houver alguns desses sintomas você deve procurar um médico ou psicólogo. Geralmente, esses sintomas estão relacionados a sua própria percepção, ou seja, quando os sentimentos estiverem:

  • Te impedindo de seguir com a vida;
  • Tendo um grande impacto nas pessoas com quem você vive ou trabalha;
  • Afetar seu humor por várias semanas;
  • Fazer com que você tenha pensamentos suicidas.

No trabalho, a saúde mental também deve ser analisada. É normal o cansaço, desânimo e o mau humor nos dias difíceis. Tem dias que não queremos falar com ninguém e apenas focar no trabalho para acabar logo de uma vez. 

No entanto, o isolamento social, a distração constante e até mesmo a procrastinação são sintomas de alerta para a saúde mental do trabalhador. 

Entendendo a ligação entre trabalho e saúde mental

Entendendo a ligação entre trabalho e saúde mental

Segundo a Organização Nacional de Saúde (OMS), o trabalho é bom para a saúde mental, mas um ambiente de trabalho negativo pode levar a problemas de saúde física e mental.

O desenvolvimento de um problema mental é o resultado de uma interação entre fatores biológicos, psicológicos e socioambientais. O que significa que o ambiente de trabalho é um contexto social com potenciais chances de desenvolver um problema de saúde mental.

Uma pesquisa mostrou que a má organização e gerenciamento do trabalho desempenham um papel significativo no desenvolvimento de problemas de saúde mental. 

Isso porque as questões psicossociais estão associadas ao risco de depressão, mau funcionamento da saúde, ansiedade, angústia, fadiga, insatisfação no trabalho e desgaste físico e emocional.

De maneira geral, os fatores do trabalho que estão relacionados a saúde mental são:

  • Longas horas de trabalho; 
  • Sobrecarga de trabalho e pressão; 
  • Falta de participação na tomada de decisão; 
  • Fraco apoio social;
  • Altos esforços e baixas recompensas no trabalho;
  • Políticas inadequadas de saúde e segurança;
  • Más práticas de comunicação e gerenciamento;
  • Baixo controle sobre a área de trabalho;
  • Horas de trabalho inflexíveis;
  • Tarefas pouco claras ou objetivos organizacionais.
  • Entre outros. 

Outro estudo realizado no Canadá mostrou que o estresse no trabalho está significativamente associado ao risco de episódios depressivos. Os indivíduos que relataram ter estresse no trabalho tiveram 2,35 vezes mais chances de relatar um episódio depressivo maior. 

Ou seja, o estresse no trabalho pode aumentar o risco relativo de exposição a riscos psicossociais e problemas de saúde mental. 

Além disso, o desemprego também é um fator de risco para problemas de saúde mental e, assim como um ambiente de trabalho negativo, pode levar ao uso nocivo de substâncias ilícitas ou álcool. 

 

Criando um local de trabalho saudável

Um ambiente de trabalho saudável é aquele em que a equipe de gestores e colaboradores estão em harmonia e contribuem para a segurança e o bem-estar de todos.

Dessa forma, para criar uma relação saudável entre saúde mental e trabalho é importante que os empregadores conscientizem a sua equipe como, por exemplo, oferecendo palestras que ajudem a compreender as oportunidades e necessidades de cada funcionário e a aprender sobre como motivar os líderes organizacionais e funcionários.

Além disso, os empregadores também podem:

  • Implementar e aplicar as políticas e práticas de saúde e segurança;
  • Informar a equipe que o apoio está disponível;
  • Envolver os funcionários na tomada de decisões;
  • Realizar práticas organizacionais que apoiam um equilíbrio saudável entre vida profissional e familiar;
  • Realizar programas para desenvolvimento de carreira de funcionários;
  • Reconhecer e recompensar a contribuição dos funcionários.

Enfim, disponibilizar tempo e recurso para práticas e intervenções que estejam integradas a saúde e bem-estar físico e emocional dos colaboradores.

Por outro lado, os próprios funcionários também podem tomar atitudes para manter uma boa saúde mental como, por exemplo, falar sobre seus sentimentos com alguém, realizar atividades físicas regularmente, ter uma boa noite de sono, se alimentar bem, beber água com frequência, se divertir, encontrar um hobby, se levantar e fazer um alongamento durante a jornada de trabalho…

Conclusão

Nesse artigo eu te mostrei qual é a relação direta entre saúde mental e trabalho. Você viu quais são os problemas de saúde mental e como você reconhece eles.

Além disso, te mostrei como a saúde mental é afetada no local de trabalho e quais atitudes podem ser colocadas em prática para criar um ambiente saudável para todos (empregadores, colaboradores e gestores).

Se esse artigo te ajudou de alguma forma, deixe um comentário. Ou se você já passou por alguma das situações citadas no texto compartilhe com a gente. 

Os 7 benefícios da chia para a saúde

Os 7 benefícios da chia para a saúde

Você sabe quais são os benefícios da chia para a saúde? Talvez você conheça essa semente, talvez não, mas vou te mostrar aqui, praticamente, tudo o que você precisa saber sobre ela. 

Além disso, vou te mostrar também receitas em que você pode utilizar a chia. Vamos lá?

O que é chia?

Chia é uma semente comestível e é nativa do centro e sul do México. Uma porção de 28 gramas de sementes de chia contém:

  • 11g de fibras;
  • 4g de proteína;
  • 9g de gordura (5 gramas são de ômega-3);
  • 18% de cálcio
  • 30% de manganês;
  • 30% de magnésio;
  • 27% de fósforo;

Além de conter uma quantidade razoável de zinco, vitamina B3 (niacina), potássio, vitamina B1 (tiamina) e vitamina B2.

1) Sementes de Chia são carregadas com antioxidantes

Um dos benefícios da chia para a saúde é que ela tem um alto teor de antioxidantes. Isso quer dizer que ela é importante para combater a produção de radicais livres, que podem danificar as moléculas celulares e contribuir para o envelhecimento e doenças como o câncer.

2) Os carboidratos da chia são de fibra

Uma porção de 28 gramas de sementes de chia tem 12 gramas de carboidratos. Sendo que 11 desses gramas são de fibra.

Isso significa que a chia te ajuda a comer menos calorias e mantém a flora intestinal funcionando corretamente.

3) Sementes de Chia são proteínas de alta qualidade

Sementes de Chia são proteínas de alta qualidade

Outro benefício das sementes de chia é que ela contém uma quantidade razoável de proteínas. Em porcentagem, são cerca de 14% de proteína.

Uma pesquisa mostrou que a alta ingestão de proteínas diminui o apetite, reduz os pensamentos obsessivos sobre alimentos em 60% dos casos e o desejo de lanches noturnos em 50%.

Ou seja, a proteína tem vários benefícios à saúde e é um dos nutrientes mais essenciais para a perda de peso.

4) O alto teor de fibras e proteínas nas sementes de chia pode ajudar a perder peso

Você conseguiu notar que a chia ajuda a perder peso? Pois é, muitos especialistas em saúde acreditam que as sementes de chia podem ajudar na perda de peso.

Isso porque a sua fibra solúvel absorve grandes quantidades de água e se expande no estômago, o que deve aumentar a plenitude e retardar a absorção dos alimentos.

Além disso, um estudo mostrou que comer sementes de chia no café da manhã ajuda a reduzir o apetite, aumentar a saciedade e reduzir a ingestão de alimentos a curto prazo.

Ou seja, adicionar sementes de chia à sua dieta pode auxiliar na perda de peso.

Mas lembre-se: uma dieta eficaz não é feita apenas de alimentos únicos, mas si com uma composição de vários alimentos, um sono regular e exercícios físicos.

Isso quer dizer que quando combinadas com uma dieta baseada em alimentos reais e um estilo de vida saudável, as sementes de chia podem ajudar a promover a perda de peso.

5) Elas são ricas em muitos nutrientes ósseos importantes

As sementes de chia são ricas em cálcio, magnésio, fósforo e proteínas, ou seja, em nutrientes essenciais para a saúde óssea.

Isso é muito importante porque as pessoas que não podem comer laticínios, podem incorporar a semente de chia na sua alimentação e ter um resultado significativo na quantidade de cálcio no seu organismo.

6) Sementes de Chia podem reduzir os níveis de açúcar no sangue

Estudos mostram que as sementes de chia podem diminuir o aumento de açúcar no sangue após uma refeição rica em carboidratos. 

Isso é importante porque os níveis elevados de açúcar no sangue em jejum são um sintoma típico de diabetes tipo 2 não tratado.

7) As sementes de chia são fáceis de incorporar à sua dieta

Agora que você já entendeu os principais benefícios da chia para a saúde, você pode estar se perguntando como adicionar essa semente na sua alimentação. 

Fique tranquilo que não é nenhum bicho de sete cabeças. Afinal de contas, as sementes de chia são incrivelmente fáceis de incorporar à sua dieta.

Segundo a nutricionista Mayara Regia, você pode usar a chia em praticamente em tudo: salada, arroz,  iogurte, no açaí, etc.

Qual a melhor forma de consumir a chia?

A semente de chia não precisa ser moída para ser consumida, você pode usá-la crua em bebidas, mingau, pudim, smoothies, pão…

Ou você pode usá-las para polvilhar sobre pratos de cereais, iogurte, legumes ou arroz.

Além disso, por ter a capacidade de absorver água e gordura, a semente de chia pode ser usada ​​para engrossar molhos ou substituir os ovos nas receitas.

Quanto posso comer de chia por dia?

O recomendado é uma porção de 20 gramas (cerca de 1,5 colheres de sopa) de sementes de chia, duas vezes por dia.

Você não precisa comer exageradamente, pois as sementes de chia duram de 4 a 5 anos sem refrigeração. Basta você armazenar em local fresco e seco. 

Dica bônus: receitas com semente de chia

As sementes de chia têm pouco (ou nenhum) sabor distinto, portanto não competem com outros sabores em um prato. 

Além disso, como elas amolecem na presença de líquido se tornam uma textura menos detectável.

Sendo assim, separei para você 4 receitas que você pode fazer utilizando a semente de chia. Você vai ver que é super fácil incluí-las para ter uma alimentação saudável. Veja só:

Gel Chia 

  1. Coloque ¼ de xícara de sementes em 1 xícara de líquido, mexa bem e tampe. 
  2. Deixe descansar por cerca de 15 a 20 minutos até que a textura mude para uma gelatina macia. 
  3. Guarde na geladeira por até uma semana. 

Agora é só adicionar o gel de chia em smoothies e sopas. O objetivo é aumentar o valor dos nutrientes e criar uma consistência mais espessa.

Pudim de Chia

View this post on Instagram

Bom diaaa, com receitinha! Excelente opção para consumir no café da manhã. Você faz o preparo de noite e consome no dia seguinte, para dar tempo da chia hidratar e chegar nessa consistência de “pudim”. Já salva a receita pra lembrar de fazer! Ingredientes: – 1 pote de iogurte natural integral; – 1 colher de sopa bem cheia de chia; – 1 colher de sopa de aveia em flocos; – Fruta de sua preferência; – Whey protein (opcional); – 1 colher de sopa de geleia sem açúcar (opcional); Modo de preparo: Em uma vasilha, misture o iogurte, a chia, aveia e o whey. Tampe a vasilha e armazene dentro da geladeira de um dia para o outro (ou por pelo menos 5h). No dia seguinte, salpique as frutas de sua preferência e misture um pouco de geleia, caso queira mais docinho, e consuma. Mais uma receita fácil e deliciosa para vcs! Quando fizer, me diga o que achou. Beijo 😘. . . . . #foodstyling #foodphotography #foodlovers #foodstagram #foodblogger #nutrionline #brasilia #nutricionistabrasilia #receitasfaceis #pudimchia #pudimdechia #lowcarb #chiapudding #alimentacaosaudavel #foodporn #alimentacaoconsciente #comidadeverdade #fitnesslifestyle #healthyfood #healthylifestyle #healthychoices

A post shared by May • Viagens • Receitas (@mayara.nutri) on

Uma das dicas da nutricionista Mayara Regia é essa receita de Pudim de Chia. Dá uma olhada:

Ingrediente:

  • 1 pacote de 170g de iogurte natural
  • 1 colher de sopa de semente de chia
  • 15g ou meio scoop de Whey protein
  • 2 colheres de chia

Modo de preparo

Misture todos os ingredientes e coloque num vidro com tampa, deixe na geladeira pelo menos 5 horas e pronto! No dia seguinte você pode salpicar as frutas de sua preferência e misturar um pouco de geleia, caso queira mais docinho.

Brotos de Chia

  1. Coloque as sementes de chia em uma única camada (use apenas cerca de uma colher de chá para deixar espaço suficiente para crescer);
  2. Pulverize as sementes com água várias vezes e cubra com filme plástico ou um prato de vidro transparente;
  3. Coloque em um local ensolarado. 
  4. Pulverize de manhã e à noite até aparecer brotos verdes, cerca de 3 a 7 dias. 
  5. Use esses microgreens para decorar saladas e sanduíches. 

Substituto do ovo

Como te disse anteriormente, a chia pode ser usada para substituir ovos nas receitas. Para isso basta você seguir as seguintes medidas:

  • Para 1 ovo inteiro, misture 1 colher de sopa de sementes de chia inteiras ou 2 colheres de chá de sementes de chia moídas com 3 colheres de sopa de água.
  • Deixe descansar por pelo menos 5 minutos ou até a mistura engrossar e ficar a consistência de um ovo mexido cru.

Conclusão

No artigo de hoje você viu os benefícios da chia para a saúde. Te mostrei que essa semente tem alto teor de fibras e proteína, além de ajudar na redução de peso e reduzir os níveis de açúcar no sangue.

Além disso, te dei 4 receitas que você pode fazer com a semente de chia. 

Se você tiver alguma dúvida sobre o assunto, entre em contato nos comentários que faremos o possível para te responder. 

 

O que é carência de plano de saúde

O que é carência de plano de saúde?

Uma das principais dúvidas quando alguém vai contratar um convênio médico é: o que é carência de plano de saúde?

Outras pessoas não fazem ideia de que existe um período que elas devem aguardar para realizar algum procedimento. 

Por isso, nesse artigo vou responder para você as principais dúvidas sobre esse assunto. Começando por aquela que te levou a chegar até aqui…

O que é carência de plano de saúde?

Segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), a carência de plano de saúde é um período em que o beneficiário deve cumprir antes de utilizar os serviços oferecidos pela operadora. 

É importante entender que esses períodos são para garantir uma segurança financeira para operadora e paras os hospitais e clínicas que vão oferecer os serviços. 

Quando posso começar a usar o plano de saúde?

A ANS dispõe períodos máximos para que o beneficiário possa começar a usar o seu plano de saúde. 

No entanto, a operadora mesmo assim deve deixar claro quais são esses prazos de carência no seu contrato.

Além disso, é importante frisar que os contratos realizados antes de janeiro de 1999 vão seguir as regras de carências que estão em cada contrato. Já os contratos realizados a partir de 02/01/1999 vale as regras de carência estabelecidas na Lei n.º 9656/98.

Sendo assim, as empresas que vendem plano de saúde podem exigir:

SituaçãoTempo a ser aguardado após a contratação do plano de saúde
Casos de urgência (acidentes pessoais ou complicações no processo gestacional) e emergência (risco imediato à vida ou lesões irreparáveis)24 horas 
Partos a termo, excluídos os partos prematuros e decorrentes de complicações no processo gestacional300 dias
Demais situações180 dias

 

Fique atento! Esses prazos são os limites de tempo máximo. Ou seja, a operadora pode exigir um tempo de carência menor que o previsto na legislação.

Outro ponto importante que você deve verificar para saber quando você pode usar o seu plano de saúde é saber qual tipo é o seu plano. 

Há uma diferença na carência dependendo de qual plano de saúde você vai contratar. Veja só:

Planos individuais ou familiares: há aplicação de carência.

Planos coletivos empresariais:

  • Com até 29 beneficiários: poderá haver aplicação de carência.
  • Com 30 ou mais beneficiários: isenção de carência desde que o beneficiário solicite o ingresso em até 30 dias da celebração do contrato ou da sua vinculação à empresa contratante.

Planos coletivos por adesão: pode haver aplicação de carência. Há isenção de carência se o ingresso do beneficiário acontecer até 30 dias após a celebração do contrato ou se o ingresso acontecer no aniversário do contrato.

O que fazer se precisar ser atendido pelo plano de saúde para tratar de uma doença preexistente?

O que fazer se precisar ser atendido pelo plano de saúde para tratar de uma doença preexistente

No caso de doenças e lesões preexistentes o beneficiário terá cobertura parcial temporária até cumprir 2 anos de carência.

Ou seja, para o tratamento de doenças e lesões que o beneficiário já sabia e assinalou no formulário da declaração de saúde, durante 2 anos ele poderá ser atendido para tratá-las, respeitando as demais carências.

Esse procedimento só não pode ocorrer nos casos de procedimentos de alta complexidade, cirurgias decorrentes das doenças preexistentes, leitos de CTI e UTI. Isso quer dizer que nesses últimos casos, será preciso aguardar os dois anos. 

No entanto, se o beneficiário decidir por ser atendido sem aguardar esse prazo, ele pode escolher pagar um valor adicional (agravo).

Esse aditivo deve negociado entre beneficiário e operadora. Fique atento que o percentual, o valor cobrado e o período de duração do agravo devem estar explícitos no contrato. 

Existe plano de saúde sem carência?

Como te mostrei anteriormente, há sim a possibilidade de você contratar um plano de saúde e não cumprir carência. 

Umas das maneiras é se o seu plano for coletivo (empresarial ou por adesão). A exigência é que o número de vidas no contrato seja acima de 30.

No entanto, fique atento ao seu contrato. Algumas operadoras não retiram todos os prazos de carências como, por exemplo, o período para esperar do parto e os procedimentos para doença e lesão preexistente.

Como fica a carência na portabilidade de plano de saúde?

Portabilidade é você mudar de um plano de saúde para outro ou de uma operadora para a outra. 

Uma das dúvidas sobre esse assunto é: como fica a carência quando você faz essa portabilidade? Ela zera e começa a contar de novo ou é acumulativa?

Bom, essa é uma regra relativamente nova. Ela foi alterada em 2019 e agora os beneficiários podem fazer a portabilidade sem cumprir novos prazos de carência. 

No entanto, precisa seguir algumas regras. Para ter direito a portabilidade você precisa:

  • Manter o vínculo ativo com o plano atual;
  • Estar adimplente junto à operadora;
  • Que o plano de destino tenha faixa de preço igual ou inferior ao plano de origem; e
  • Que tenha cumprido o prazo de permanência exigido no plano. 

Nesse último ponto significa que para a 1.ª portabilidade o beneficiário precisa ter no mínimo dois anos no plano de origem (três anos se tiver cumprido a cobertura parcial temporária) e para a 2.ª portabilidade em diante deve ter no mínimo 1 ano de permanência no plano de origem (dois anos, se a portabilidade for para um plano com cobertura não prevista no plano de origem).

Além disso, essa regra também vale para os clientes de planos empresariais que foram demitidos ou aposentados. 

Existe plano de saúde sem carência para parto?

Segundo a ANS, a carência para a cobertura de parto é de 300 dias, ou seja, 11 meses.

É muito difícil uma operadora isentar ou diminuir esse período de carência, com exceção nos casos emergenciais. 

O ideal é contratar o plano de saúde quando já está planejando a gravidez. Mas caso isso não seja possível, é importante possuir esse auxílio do mesmo jeito. 

Isso porque você poderá realizar todos os exames e, durante os primeiros 30 dias de vida, o seu bebê será incluindo automaticamente no seu plano sem nenhum custo adicional.

Somente depois desse período que ele deve ser incluído como seu dependente. 

Além disso, também há a possibilidade de pagar o agravo e não precisar cumprir o período de carência.

Conclusão

No artigo de hoje te expliquei o que é carência de plano de saúde. Além disso, respondi perguntas importantes sobre o assunto.

Como, por exemplo, quando você pode começar a usar o seu plano de saúde e como fica a contagem da carência quando você fizer uma portabilidade. 

Se você tiver qualquer dúvida sobre o assunto, deixe um comentário que a nossa equipe fará o possível para te responder. 

O que é plano de saúde empresarial? Tudo o que você precisa saber 

O que é plano de saúde empresarial?

Você sabe o que é o plano de saúde empresarial? Como ele funciona? Quais as vantagens de contratar um?

Sei que essas são dúvidas comuns para quem está buscando a melhor opção para proteger a sua saúde e a saúde da família. Por isso, separei aqui todas as informações iniciais que você precisa saber. 

Mas antes de explicar o que de fato é um plano de saúde empresarial. Você sabia que…

O plano de saúde empresarial é um tipo de plano coletivo

Dentro das categorias de plano de saúde, há uma chamada plano de saúde coletivo. E nela há dois tipos: o plano de saúde empresarial e o plano de saúde coletivo por adesão.

O plano de saúde coletivo por adesão, geralmente, são contratados por pessoas jurídicas de caráter profissional, classista ou setorial, como conselhos, sindicatos e associações profissionais.

Já o plano de saúde empresarial presta assistência à saúde dos funcionários de uma empresa.

Como funciona o plano de saúde empresarial?

Como funciona o plano de saúde empresarial?

O plano de saúde empresarial, como te disse anteriormente, é aquele contratado por pessoas jurídicas. 

O que significa que empreendedores, sindicatos e associações podem realizar esse contrato. Além disso, é importante ressaltar que o microempreendedor também pode ter um plano de saúde empresarial.

O plano de saúde empresarial é bastante similar ao plano de saúde individual. Pois as operadoras podem abranger no seu contrato consultas periódicas, emergências, tratamentos, cirurgias e, até mesmo, cobertura odontológica.

Quem são os beneficiários do plano de saúde empresarial?

Além disso, com o plano de saúde empresarial você também pode adicionar os dependentes dos seus funcionários e ajudar aqueles não conseguiram arcar sozinhos com o plano de saúde individual.

Fique atento que esses dependentes só podem ser os familiares até o 3º grau de parentesco consanguíneo, até o 2º grau de parentesco por afinidade e cônjuge ou companheiro.

Também pode adicionar como beneficiário os sócios, administradores, estagiários, demitidos e aposentados. 

A empresa é obrigada a manter o plano após demissão ou aposentadoria?

Os funcionários demitidos sem justa causa e os aposentados podem permanecer no plano de saúde coletivo, desde que tenham contribuído com pelo menos parte do pagamento das mensalidades e que assumam o pagamento integral do benefício.

No entanto, se começarem a trabalhar em outra empresa que possua esse benefício, a pessoa não terá direito ao novo plano se quiser permanecer com o antigo.

Lembre-se: o empregador deve comunicar o demitido ou o aposentado sobre esse direito e, se o beneficiário quiser manter o plano, precisa formalizar o pedido por escrito em até 30 dias.

Posso fazer um plano de saúde empresarial para minha família?

Sim, essa opção é possível. Basta o titular, quem irá contratar o plano, possuir CNPJ.

As operadoras apenas exigem que tenha no mínimo 2 pessoas e que a empresa esteja funcionando por um período de pelo menos 6 meses.

Como funciona a carência no plano de saúde empresarial?

A carência no plano de saúde empresarial é diferente do plano individual. Nas empresas com número igual ou maior do que 30 participantes e os beneficiários que aderirem o contrato até 30 dias da sua assinatura não cumprem a carência nem a Cobertura Parcial Temporária (CPT).

Caso alguém ingresse depois desse período ou o número de participantes for menor que 30, a operadora pode exigir o cumprimento de prazos de carência.

Quais documentos a operadora de plano de saúde empresarial deve entregar?

Quais documentos a operadora de plano de saúde empresarial deve entregar?

Segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), é obrigatório as operadoras de planos de saúde entregar ao contratante uma cópia do contrato com as seguintes informações: 

  • Prazos de carência; 
  • Vigência do contrato;
  • Critérios de reajuste; 
  • Abrangência geográfica;
  • Tipo de acomodação (coletiva, em enfermaria, ou individual, em quarto);
  • Segmentação assistencial (cobertura ambulatorial, hospitalar, odontológica, obstétrica). 

Além disso, a operadora deve também entregar a cada beneficiário: 

  • Cópia do regulamento ou condições gerais do plano;
  •  Manual de Orientação para Contratação de Planos de Saúde;
  • Guia de Leitura Contratual.

Como funciona os reajustes na mensalidade dos planos de saúde empresarial?

De acordo com a ANS, há duas situações em que pode haver o reajuste na mensalidade:

  1. Quando acontece mudança de faixa etária;
  2. Uma vez ao ano, por variação de custos, na data de aniversário do contrato. 

No caso do plano de saúde empresarial, esse índice de reajuste é definido conforme o contrato assinado entre o beneficiário e a operadora. Ou seja, não precisa de autorização da ANS, mas sim que a operadora comunique à ANS no máximo até 30 dias após a aplicação do reajuste.

Além disso, é obrigatório a operadora informar no boleto de pagamento todos os valores cobrados, inclusive as despesas acessórias, tais como as tarifas bancárias, as coberturas adicionais contratadas em separado, multa e juros.

É importante frisar que a ANS monitora constantemente esses reajustes e as cobranças acima ou abaixo do percentual determinado é passível de punição. 

Quais são os tipos de cobertura assistencial no plano de saúde empresarial?

Quais são os tipos de cobertura assistencial no plano de saúde empresarial?

Geralmente, há no mercado 5 tipos cobertura assistencial no plano de saúde empresarial. Cada um deles possuem uma abrangência diferente, por isso, é importante conhecê-los. 

Veja só!

Referencial

Esse é o plano de saúde empresarial mais completo. Pois abrange os serviços ambulatoriais, obstetrícia, hospitalar e até internação.

Ambulatorial

Abrange consultas médicas e procedimentos ambulatoriais. No entanto, não cobre internação hospitalar.

Hospitalar

Cobre somente os procedimentos realizados durante a internação. Ou seja, não cobre serviço ambulatorial.

Hospitalar com Obstetrícia

Assim como o hospitalar, abrange procedimentos realizados durante a internação com adição de serviços de pré-natal e assistência ao parto.

Odontológico

Abrange os serviços odontológicos realizados em consultório dentário, tais como: exames clínicos e radiológicos, periodontia, endodontia e cirurgias orais menores com anestesia local.

Também cobre serviços de urgência e emergência.

Como escolher a melhor operadora?

Há no mercado várias operadoras de plano de saúde empresarial e uma das principais dúvidas é saber como escolher qual delas é a melhor e que vai garantir o atendimento que você deseja. 

Por isso, a minha sugestão é que você analise 6 pontos principais:

1) Qual o tamanho da  sua empresa

Sua empresa é pequena, média ou grande?

Dependendo da sua estrutura, é melhor escolher de acordo com o número de vidas no plano.

2) Como são os seus funcionários

É importante conhecer bem os seus funcionários, pois o plano de saúde empresarial vai ser para eles também. 

Anote a faixa etária, sexo, onde mora, riscos existentes no trabalho, quais deles têm problemas de saúde… 

Com o setor de Recursos Humanos você consegue traçar o perfil médio dos seus colaboradores e optar pelo plano de saúde mais adequado para a sua empresa. 

 

3) Quais coberturas as operadoras têm disponíveis

Como te mostrei anteriormente, há diferentes planos e coberturas. Por isso, é necessário compará-los e escolher o mais adequado à sua necessidade.

4) Como é o contrato

Antes mesmo de escolher uma operadora para o seguro de vida empresarial, se você tiver a oportunidade leia o contrato da seguradora. 

Observe cuidadosamente cada detalhe, verifique todas as informações sobre as coberturas e todas as taxas que podem ser reajustadas.

Depois anote todas as suas dúvidas e converse com um representante da operadora. 

5) Qual a reputação da operadora no mercado

É muito importante que você escolha uma operadora que já tenha um histórico que combine com as expectativas do seu negócio. 

Sendo assim, é importante você conversar com outras empresas que já utilizam o mesmo contrato que você quer aderir.

Mas fique atento que é arriscado ir a esses fóruns de reclamações na internet, pois muitas vezes o problema é resolvido e o usuário não retorna para dar esse feedback. 

Então, a minha sugestão é que você acesse o próprio site da ANS. A agência reguladora disponibiliza um ranking de insatisfação para que todos os usuários possam conferir. 

6) Qual o valor

Querendo ou não, dinheiro sempre pesa em uma decisão.

Por isso é necessário pesquisar diferentes opções após estabelecer o tipo de atendimento que você busca.

Mas lembre-se que nem sempre o mais barato é o melhor para você. Deixe para analisar o preço por último, assim você consegue verificar se vale a pena ou não aquele valor diante dos benefícios que o plano te oferece. 

Qual a diferença entre Com Coparticipação  e Sem Coparticipação?

Coparticipação nada mais é que uma opção àqueles que não utilizam o plano regularmente, e preferem tê-lo apenas para resguardo.

Assim, você paga a mensalidade do plano e uma taxa quando ele for utilizado.

Pode parecer que você irá gastar mais, mas o custo total é menor se comparado a alguém que utiliza o plano frequentemente.

Dessa forma, o valor mensal é reduzido, sendo mais barato do que a opção sem coparticipação.

Como funciona o sistema de reembolso no contrato empresarial?

Como funciona o sistema de reembolso no contrato empresarial?

Imagine que um colega está sofrendo um infarto e que você está com ele. Ao olhar para o seu lado direto você enxerga um hospital, no entanto, você sabe que ele não aceita o plano de saúde da empresa. O que você faz?

Vai com ele para o hospital credenciado mais próximo ou entra no que está logo a sua frente?

A melhor opção é você levá-lo para o hospital mais próximo mesmo que ele não seja credenciado. 

Isso porque é obrigação de todas as operadoras o reembolso de despesas efetuadas pelo beneficiário em casos de urgência e emergência. 

Ou seja, nesse caso específico, você pode buscar o serviço não credenciado e depois obter o reembolso. Afinal, não foi uma escolha livre, mas sim uma necessidade urgente.

Observe que essa situação deve estar dentro dos limites das obrigações contratuais. Isso quer dizer que deve ser cumprido as regras de carência, de cobertura parcial temporária, de segmentação assistencial e de área de atuação do produto.

Esse reembolso deve ser efetuado no prazo máximo de 30 dias após a entrega da documentação adequada. Além disso, esse valor deve ser, no mínimo, aquele que a operadora pagaria para a rede credenciada se esta fosse utilizada.

Qual a importância do plano de saúde empresarial?

Se você ainda tem dúvidas se vale ou não a pena contratar um plano de saúde empresarial, separei para você  5 benefícios que podem te ajudar a se decidir. 

  1. Ajuda a diminuir Imposto de Renda;
  2. Mantém a equipe motivada;
  3. Diminui o nível de absenteísmo;
  4. Reduz o número de atestados médicos indevidos;
  5. Previne os seus colaboradores de futuras doenças ocupacionais.

Conclusão

No artigo de hoje eu te mostrei exatamente o que é o plano de saúde empresarial.

Você viu as vantagens de fazer um contrato para a sua empresa, quais opções têm disponível e o que você precisa saber antes de fechar negócio com uma operadora. 

Acredito que abordei todos os principais pontos sobre esse assunto, se você tem alguma dúvida que não foi abordada aqui, manda nos comentários que vamos fazer o possível para te responder.

A importância da atividade física para a saúde

A importância da atividade física para a saúde

Se você tem dúvidas sobre a importância da atividade física para a saúde é porque você ainda não conhece todos os benefícios que o exercício físico pode te trazer. 

Talvez você seja aquela pessoa que não tem tempo para fazer um exercício físico ou é alguém que não consegue se adaptar a uma rotina de treino. 

O fato é que você precisa realizar atividade física regularmente se quiser melhorar a sua qualidade de vida e ter uma velhice tranquila. 

Pode parecer papo de profissional de educação física, mas se você já leu algum artigo meu sabe que eu não sou a maior fã de atividade física. 

O que quero dizer é: o que vou te mostrar aqui vai fazer você mudar o jeito como ver os exercícios físicos (assim como mudou o meu posicionamento). Vamos lá?

O que é atividade física?

Sei que pode parecer estranho fazer essa definição, mas você sabe o que realmente significa atividade física?

Atividade física nada mais é do qualquer movimento corporal, produzido pelos músculos esqueléticos, que requer energia. 

Ou seja, isso inclui levantar, caminhar, andar de bicicleta, carregar objetos, subir escadas, fazer compras, dançar…

Sendo assim, você pode realizar atividade física enquanto trabalha, se diverte, realiza tarefas domésticas, viaja e se dedica a atividades recreativas. 

Por outro lado, nem todas as atividades físicas possuem a mesma intensidade. Observe:

 METs significa metabólicos, que é a intensidade metabólica da realização da atividade em comparação com o estado de repouso.

Isso quer dizer, por exemplo, que os trabalhos domésticos não geram o mesmo resultado que uma aula de ginástica.

Quem pode fazer atividade física?

Segundo a Organização Mundial de Saúde, o nível mínimo de atividade física para a saúde é de acordo com cada faixa etária. Observe a tabela:

Ou seja, a maioria das pessoas precisa de 20 a 60 minutos por dia de atividade física. 

7 benefícios da prática de atividade física

7 benefícios da prática de atividade física

Agora que você entendeu o que é de fato uma atividade física, quem pode realizar e quanto tempo cada pessoa pode fazer um exercício físico. 

Vou te mostrar 7 benefícios da prática de atividade física. Vamos lá?

1) Ajuda a perder peso

Esse é benefício o mais conhecido. Na verdade, muitas pessoas acreditam que a perder peso é o único motivo para realizar uma atividade física. 

No entanto, esse á apenas um entre tantos outros que vou te mostrar nas próximas linhas. 

Mas vamos falar um pouco sobre isso…

O efeito do exercício físico na redução de peso está relacionado diretamente ao gasto de energia. 

Vou te explicar.

O seu corpo gasta energia de 3 maneiras:

  1. Digerindo alimentos;
  2. Exercitando;
  3. Mantendo funções corporais como, por exemplo, batimento cardíaco e a respiração. 

Isso quer dizer que apenas uma dieta não trará grandes resultados para o seu corpo. Isso porque a ingestão menor de calorias reduz a sua taxa metabólica e já a atividade física aumenta. 

O que significa que a prática de exercícios físicos queima mais calorias e ajuda mais a perder peso.

Sendo assim, a importância da atividade física para a saúde é que ela é essencial para manter um metabolismo rápido e queimar mais calorias por dia.

2) Redução de doenças crônicas

Não realizar atividade física regularmente é a principal causa de doenças crônicas. Pois essa prática melhora a sensibilidade à insulina, a aptidão cardiovascular e a composição corporal. Além de diminuir a pressão arterial e os níveis de gordura no sangue.

Ou seja, a falta de atividade física regular, mesmo a curto prazo, pode aumentar a gordura na barriga. O que aumenta o risco de diabetes tipo 2, doenças cardíacas e morte precoce.  

Eu sei que ter a barriga chapada às vezes pode parecer apenas estética, mas ela é um fator essencial para reduzir os riscos de doenças crônicas. 

É claro que não estou dizendo para você secar sua barriga, mas sim focar em diminuir a gordura.

3) Pode ajudar a saúde e memória do cérebro

Um estudo mostrou que a atividade física é importante para a saúde, pois ajuda a reduzir as alterações no cérebro que podem causar Alzheimer e esquizofrenia. 

Isso acontece porque o aumento da frequência cardíaca quando você está realizando uma atividade física proporciona um fluxo de sangue e oxigênio para o cérebro. 

Ou seja, pode melhorar a função cerebral e proteger as habilidades de memória e pensamento. 

Além disso, pode estimular também a produção de hormônios que aumentam o crescimento das células cerebrais. 

4) Melhora do sono e da disposição

Você já reparou que quando você faz uma atividade física você consegue dormir melhor?

Isso ocorre porque a redução de energia que ocorre durante o exercício físico e o aumento da temperatura corporal estimula o processo de recuperação e melhora a qualidade do sono

Um estudo descobriu que 150 minutos de atividade física moderada por semana pode melhorar a qualidade do sono em 65%. 

Ou seja, com menos de 30 minutos por dia de atividade física você já consegue dormir melhor. 

5) Fortalece o organismo

Conforme a gente vai envelhecendo, a tendência é perder massa e função muscular. E isso pode levar a lesões e deficiências no nosso organismo. 

Por isso, a prática de atividade física regular é crucial para diminuir a perda muscular e manter a força quando a velhice chegar. 

Sem contar que o exercício físico também ajuda a aumentar a densidade óssea, o que ajuda a prevenir a osteoporose. 

6) Contribui para o bom humor, diminui o estresse, a ansiedade e a depressão

É comprovado cientificamente que a prática de atividade física melhora o humor e diminui o estresse, ansiedade e depressão.

Isso acontece porque o exercício físico produz alterações nas partes do cérebro que regulam esses sentimentos. 

Ele aumenta a sensibilidade do cérebro aos hormônios serotonina e noradrenalina, que diminuem o sentimento de depressão. 

Aumenta a produção de endorfinas que ajudam a produzir sentimentos positivos e reduzir a percepção da dor.

Além disso, auxilia também a diminuir os sintomas em pessoas que sofrem de ansiedade

É importante entender que esses benefícios não estão ligados a intensidade do seu treino, o importante é realizar alguma atividade física, independentemente de quantas horas você passa na academia ou quanto peso você consegue levantar. 

Um estudo mostrou que as pessoas que não fazem atividade física possuem mais humor negativo do que aquelas praticam qualquer exercício. 

Sendo assim, a importância da atividade física para a sua saúde está relacionada diretamente com o controle das suas emoções e humor.

7) Pode ajudar a sua pele

O exercício físico moderado pode fornecer proteção antioxidante e promover o fluxo sanguíneo, esses dois fatores ajudam a proteger sua pele e retardar os sinais de envelhecimento. 

Mas preste atenção: é o exercício MODERADO. 

Pesquisas mostram que a atividade física intensa e exaustiva pode contribuir para danos oxidativos, ou seja, pode ocasionar sinais de envelhecimento precoce. 

Consequências do sedentarismo

Consequências do sedentarismo

O sedentarismo é um “assassino silencioso”. Você não percebe, mas a falta de atividade física está te matando lentamente. 

Isso porque passar muito tempo sentado e deitado por longos períodos faz mal à saúde. 

Assistir televisão, usar o computador e usar o carro para viagens curtas, por exemplo, aumenta o risco de desenvolver doenças cardiáceas, derrame, diabetes tipo 2 e obesidade. 

Sendo assim, você não deve apenas focar em aumentar os níveis de atividade física durante o dia, mas também em reduzir a quantidade de tempo sentado ou deitado.

Como começar a praticar atividades físicas?

Fazer qualquer atividade física é melhor que não fazer nenhuma. Ou seja, se você não tem o hábito de fazer exercícios físicos comece fazendo pouco e aumente gradualmente. 

Como te disse anteriormente, o mínimo recomendado é de 30 minutos de atividade física todos os dias e você pode fazer isso de diversas maneiras. Como, por exemplo:

  • Corrida e caminhada;
  • Trocar o elevador pelas escadas;
  • Se alongar durante o dia;
  • Investir em uma academia;
  • Participar da ginástica laboral;
  • Fazer atividade física em casa;
  • Entre outros.

A avaliação médica é fundamental para garantir o sucesso da atividade física

É importante você procurar um médico antes de realizar uma atividade física de alta intensidade. 

Isso porque elas podem causar dores no peito, desmaio, tonturas, falta de ar… Principalmente se você tiver mais de 45 anos ou estiver grávida. 

A avaliação médica vai ajudar a identificar as suas condições físicas e verificar se você corre o risco de sofrer algum problema de saúde durante a realização do exercício.

Conclusão

No artigo de hoje você viu a importância da atividade física para a saúde. 

Te mostrei que os exercícios físicos possuem vários benefícios que podem melhorar a sua qualidade de vida.  Como, por exemplo, dormir melhor e diminuir o estresse e a ansiedade. 

E, como te falei no início desse artigo, todas essas informações me fez mudar a minha visão sobre atividade física. Agora de uma pessoa sedentária estou começando a realizar de 20 a 30 minutos de atividade física por dia. 

E você? Depois de saber disso tudo o que vai fazer para melhorar a sua saúde? Me conta nos comentários e vamos trocar experiências.

 

Como funciona a carência do plano de saúde empresarial 

Como funciona a carência do plano de saúde empresarial? 

Você sabe como funciona a carência do plano de saúde empresarial? Talvez esse conceito esteja um pouco confuso na sua cabeça ou talvez não. 

O fato é que você precisa entender exatamente como a carência funciona no seu plano de saúde empresarial para não perder nenhum benefício. 

Sendo assim, vamos logo ao ponto…

O que significa carência?

De acordo com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), carência é o tempo determinado para você ter acesso às coberturas previstas para a contratação do seu plano. 

Isso quer dizer que no âmbito do plano de saúde, a carência está associada ao tempo que você tem que esperar para realizar algum serviço como, por exemplo, procedimentos médicos.

Segundo a ANS, os prazos máximos de carência é de:

  • 24 horas para situações de urgência e emergência;
  • 30 dias para consultas e exames simples;
  • 10 meses para parto (com exceção os casos de prematuros ou decorrentes de complicações);
  • 180 dias para consultas, exames, internações e cirurgias.

No entanto, a operadora pode conceder, em alguns casos, um prazo de carência menor. Pois, afinal, esses prazos determinados pela ANS é o limite máximo de carência. 

O que é o plano de saúde empresarial?

Antes de explicar como funciona a carência do plano de saúde empresarial, primeiro é importante você entender o que é o plano de saúde empresarial

De maneira bem simples, ele pode ser conceituado como um contrato realizado por meio de uma pessoa jurídica. 

O que significa que, além das empresas e sindicatos, você que é Microempreendedor Individual também pode contratar. 

Mas, enfim, o plano de saúde empresarial também tem carência?

Mas, enfim, o plano de saúde empresarial também tem carência

Depende do número de participantes. 

Vou te explicar. 

A carência no plano de saúde empresarial funciona assim: se o número de participantes é igual ou maior do que 30, os beneficiários não precisam cumprir carência nem Cobertura Parcial Temporária (CPT). 

No entanto, há uma condição para isso: o beneficiário deve ingressar no plano de saúde em até 30 dias da data de assinatura do contrato ou até 30 dias depois da sua vinculação com a empresa. 

Isso quer dizer que se o plano de saúde empresarial contratado tiver menos do que 30 participantes, a operadora pode exigir os prazos de carências e CPT determinados pela ANS.

Por outro lado, muitas operadoras têm políticas comerciais que visam isentar os beneficiários desses prazos e optam por alinhar essa situação na hora do contrato. 

Sendo assim, se você pretende fazer parte de um plano de saúde empresarial com menos de 30 participantes, converse com a sua operadora e veja se ela não tem uma opção mais vantajosa para você não cumprir ou diminuir esses prazos.

É importante lembrar que cada operadora tem uma política sobre isso. Geralmente, elas reavaliam a situação, antes de propor uma redução das carências.

O que é Cobertura Parcial Temporária (CPT)?

Você viu que além da carência, ainda existe a Cobertura Parcial Temporária (CPT). 

Ela é uma cobertura essencial que admite a suspensão da cobertura de Procedimentos de Alta Complexidade  (PAC), leitos de alta tecnologia e procedimentos cirúrgicos, relacionados exclusivamente às doenças ou lesões preexistentes (DLP) declaradas pelo beneficiário ou representante legal no ato da contratação do plano.

Ou seja, o beneficiário pode usar o plano de saúde normalmente, menos para procedimentos e eventos que tenham relação com a doença que ele declarou que tinha antes da contratação do plano.

Nesse caso, a operadora fica isenta dos custos e o beneficiário deve arcar com eles. 

O prazo máximo que as operadoras podem exigir é de até 24 meses, contados a partir da data de assinatura do contrato.

E como funciona a carência para dependentes no plano de saúde empresarial?

Para serem insetos das carências e CPT, os dependentes (cônjuges, filhos e ascendentes), de acordo com cada operadora, devem ser incluídos no plano de saúde empresarial em até 30 dias da data de assinatura do contrato ou até 30 dias depois da sua vinculação com a empresa. 

No caso dos recém-nascidos, automaticamente, em seus primeiros 30 dias de vida eles já fazem parte da assistência-médico hospitalar. Após esse período, ele deve ser incluindo como dependente no prazo máximo de 30 dias após o seu nascimento. 

Agora quando o titular não tenha cumprido todas as carências, se for o caso do contrato com menos de 30 participantes, o mesmo prazo será imposto para os seus dependentes.

Posso fazer a portabilidade da carência do plano de saúde empresarial?

Essa é uma das principais dúvidas dos beneficiários e uma alteração recente feita pela ANS. 

Desde 2019, a agência reguladora ampliou a portabilidade de carências. Antes desse período, apenas os planos individuais e coletivos por adesão que podia realizar esse procedimento. 

Agora os beneficiários de qualquer tipo de contratação podem mudar o seu plano de saúde e levar as suas carências cumpridas. 

No entanto, para isso é preciso cumprir 5 requisitos:

  1. O plano atual deve ter sido contratado após 1º de janeiro de 1999 ou ter sido adaptado à Lei dos Planos de Saúde;
  2. O contrato deve estar ativo, ou seja, o plano atual não pode estar cancelado;
  3. O beneficiário deve estar em dia com o pagamento das mensalidades;
  4. O beneficiário deve cumprir o prazo mínimo de permanência no plano, que pode ser de um ou dois anos;
  5. O plano de destino deve ter preço compatível com o seu plano atual (estar na mesma faixa de preço).

Para saber mais você pode dar uma olhada no vídeo explicativo da própria ANS:

Demitidos e aposentados podem continuar no plano de saúde empresarial?

Segundo a ANS, é obrigatório a empresa manter o aposentado, o ex-empregado exonerado ou demitido sem justa causa no seu plano de saúde. 

Desde que o benefício ainda seja ofertado aos empregados ativos, o ex-funcionário tenha contribuído com, pelo menos, parte do custeio do plano e que ele não seja admitido em um novo emprego. 

Além disso, o ex-funcionário precisa também:

  • Assumir o pagamento integral do benefício;
  • Formalizar a decisão pela manutenção do plano de saúde no prazo máximo de 30 dias, contados a partir da comunicação do empregador.

Além disso, esse direito também se estende aos dependentes que já estavam inscritos no plano de saúde empresarial, quando vigente. 

E mesmo com o falecimento do ex-funcionário, o grupo familiar pode continuar com plano pelo restante do tempo que o beneficiário titular tenha direito. 

Conclusão

Nesse artigo você viu como funciona a carência do plano de saúde empresarial. Te mostrei o que cada um desses temos significa separadamente e ainda te explicar pontos essenciais que você deve saber. 

Como, por exemplo, como funciona a carência para os dependentes e quais são os direitos que você tem caso seja demitido ou aposentado. 

Se você tiver qualquer outra dúvida que não foi abordada aqui, deixe um comentário que a nossa equipe fará o possível para te responder. 

 

 

O que significa saúde mental? 6 fatos que você precisa saber

O que significa saúde mental? 6 fatos que você precisa saber

Você sabe o que significa saúde mental? Muitas pessoas confundem com doença mental e outras tratam com negligência algo tão sério. 

Por isso, o primeiro passo para saber o que exatamente significa saúde mental é a informação. 

Imagine que você está planejando viajar para um país que você nunca foi antes. Qual é a primeira coisa que você faz?

Geralmente, é pesquisar informações sobre o clima daquela região na época que você vai viajar, qual o preço das passagens áreas, quais os melhores hotéis e quando você vai gastar para permanecer durante o seu período de estadia. 

Você faz tudo isso porque é importante se manter informado antes de pousar em um país desconhecido. 

E com o conceito de saúde mental é a mesma coisa. 

Antes mesmo de você debater sobre esse assunto ou apontar algum fato que afete a saúde mental de alguém é importante desconstruir alguns conceitos errados sobre o assunto. 

Por isso, nesse artigo separei para você 6 fatos que você precisa saber sobre saúde mental. 

Mas antes, você sabe…

O que é saúde mental?

De maneira bem simples, saúde mental significa o bem-estar cognitivo, comportamental e emocional. 

Isso quer dizer que está relacionada a maneira como você pensa, sente e se comporta. 

Já segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), saúde mental significa um estado de bem-estar no qual um indivíduo realiza suas próprias habilidades. Ou seja, ele pode lidar com o estresse normal da vida, pode trabalhar produtivamente e pode contribuir com sua comunidade.

Sendo assim, cuidar da saúde mental é proteger a capacidade de uma pessoa aproveitar a vida. Situações de estresse, depressão e ansiedade, por exemplo, são condições que podem desequilibrar a rotina de uma pessoa e afetar a sua saúde mental.  

6 fatos que você precisa saber sobre a saúde mental

6 fatos que você precisa saber sobre a saúde mental

Apenas entender o conceito de saúde mental, não quer dizer que você sabe o que ela significa. 

Isso porque existem fatores e situações que você precisa entender e nas próximas linhas é isso que vou te mostrar.

Vamos lá? 

Não existe saúde sem saúde mental

De acordo com a Organização Mundia da Saúde (OMS), saúde é “um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a mera ausência de doença ou enfermidade”.

Ou seja, a saúde mental é parte integrante da saúde.

Vou te explicar.

Uma vez eu estava super feliz por ter conseguido um ótimo emprego, no entanto, com o passar dos dias eu não me sentia acolhida naquele lugar e constantemente sofria julgamentos que diminui a minha auto-estima como profissional.

A situação toda ocasionou constantes crises de gastrite, eu comia compulsivamente e tinha crises de choros diariamente. 

Tudo isso implicava na minha saúde, sei disso porque logo depois que saí de lá a minha sensação de bem-estar mudou consideravelmente. 

Por isso, é importante você cuidar também da sua saúde mental. Com um acompanhamento profissional adequado e mudanças de ambiente você, provavelmente, vai ver também uma mudança na sua saúde física.

Saúde mental é determinada por três fatores

Ainda segundo a OMS, a saúde mental é determinada por 3 fatores:

  1. Socioeconômicos;
  2. Biológicos; e 
  3. Ambientais.

Os fatores biológicos estão relacionados à genética e a personalidade, os ambientais aos direitos básicos do cidadão (segurança, moradia, alimentação, etc). 

Já o socioeconômico condiz a condições de trabalho estressantes, rápidas mudanças sociais, estilo de vida não saudável, recursos financeiros limitados, grupo étnico marginalizado, entre outros. 

Sendo assim, quando um desses fatores é atingido a saúde mental sofre. 

Saúde mental é mais que ausência de transtornos mentais

O fato é que, ao longo da vida, qualquer pessoa pode ser afetado por problemas de saúde mental. Isso porque nas fases da vida passamos por acontecimentos que podem causar pertubações mentais como, por exemplo:

  • Depressão;
  • Ansiedade;
  • Stress continuado;
  • Esquizofrenia;
  • Demência.

Isso significa que a genética nem sempre está associada a saúde mental. Muitas vezes um transtorno pode ser ocasionado por um trauma também (morte de um familiar, o desemprego, bullying, entre outros). 

Sendo assim, é importante desmitificar que essas doenças são fruto da imaginação, desculpa para preguiça ou para ser perigoso. 

O grau de cada uma delas deve ser acompanhado por um profissional qualificado e assim reduzir os sintomas através de medidas de reabilitação. 

As redes sociais afetam a Saúde Mental

Depois de passar muito tempo  em uma rede social você já ficou triste, ansioso ou com inveja de alguém?

Relaxa! Todo mundo já sentiu isso alguma vez na vida. 

Isso porque, segundo uma pesquisa realizada pela Royal Society for Pubic Health, as redes sociais passam a sensação de que todos estão felizes e isso gera uma angústia e abala o emocional das pessoas. 

Sendo assim, o ideal é utilizar as redes sociais com sabedoria e aproveitar o tempo livre para ler um bom livro, assistir uma série ou fazer um curso online de qualificação.

A depressão é a principal consequência de um saúde mental prejudicada

De acordo com a OMS, há 322 milhões de pessoas no mundo que sofrem de depressão. Esses são dados de 2015, o que significa que esses números podem estar bem mais alto hoje em dia.

No Brasil, segundo esse estudo, 11,5 milhões de brasileiros são afetados por essa doença. 

Por isso, é importante você entender quais são os sintomas da depressão. Geralmente, eles são:

  • Sentimentos de desesperança, luto ou pessimismo;
  • Irritabilidade;
  • Sentimentos de culpa, inutilidade ou desamparo;
  • Perda de interesse ou prazer pela vida, hobbies e atividades;
  • Diminuição da energia ou fadiga;
  • Entre outros.

O interessante é que nos últimos tempos há varias campanhas brasileiras para ajudar pessoas com depressão, além da conscientização sobre o assunto. 

Se você está nessa situação ou conhece alguém nessas condições, entre em contato com um psicologo ou com o CVV (Centro de Valorização da Vida), o atendimento é gratuito é pode ser realizado por telefone (188), e-mail ou chat no site

A ansiedade também faz parte da saúde mental

Ainda segundo a pesquisa anterior, 264 milhões de pessoas sofrem com transtornos de ansiedade. Nesse ranking, o Brasil fica em primeiro lugar, são ao todo 18,6 milhões de pessoas. 

Segundo a Associação Americana de Psiquiatria, a ansiedade é uma preocupação desproporcional que atrapalha a vida cotidiana. 

Ou seja, não é apenas aquela inquietação que você sente quando vai resolver alguma coisa importante. 

Mas sim um tormento que te atrapalha a seguir a sua rotina e até mesmo a fazer novos planos. 

Além disso, um transtorno de ansiedade, geralmente, ocasiona também: 

  •  Fadiga;
  • Músculos tensos;
  • Sono interrompido;
  • Entre outros sintomas físicos.

Conclusão

No artigo de hoje você viu fatos importantes sobre o que de fato significa a saúde mental. 

Te mostrei que é importante abordar sobre esse assunto porque assim as pessoas podem cuidar de si mesmas e do próximo. 

Os casos mais graves, como ansiedade e depressão, podem ser diminuindo se os sintomas forem percebidos precocemente e tratados com a ajuda de um especialista. 

Se você tiver alguma dúvida, deixe um comentário que a nossa equipe fará o possível para te ajudar.